Made in China

Certificação de novo avião chinês está sendo feita de maneira remota

Comac instalou rede especial de internet 5G para permitir continuidade dos trabalhos durante pandemia


Comac C919 será o primeiro avião comercial chinês desenvolvido com foco em assumir uma posição de destaque no mercado

A China Commercial Aircraft (Comac) passou a adicionar a infraestrutura 5G em suas instalações e linha de montagem de teste do seu primeiro grande avião, o C919. O investimento faz parte de um esforço para acelerar o desenvolvendo da aeronave, garantindo a presença virtual dos funcionários das agências reguladores do governo chinês durante a campanha de ensaios em voo.

Com acesso aos testes e processos em tempo real, os técnicos e burocratas poderão confirmar a aplicação de normas e procedimentos nos ensaios, ao mesmo tempo que deve permitir a Comac diminuir a movimentação pessoas em suas instalações durante a pandemia do novo coronavírus.

LEIA TAMBÉM

Mesmo sem a consolidação das redes de internet de quinta geração, a fabricante de aeronaves chinesa implementou uma nova plataforma virtual usando uma fase inicial da tecnologia 5G; Um dos primeiros acessos remotos a campanha de certificação ocorreu com os testes de proteção contra incêndio do firewall da unidade de energia auxiliar do C919, que está sendo realizada junto ao Instituto de Pesquisa da Administração de Aviação da China (CAAC, na sigla em inglês), por meio de dois funcionários de Xangai.

Mesmo com a preocupação das principais autoridades reguladoras do mundo sobre a exigência da presença física de um representante da CAAC no local de testes, a Comac vê com otimismo a possibilidade de usar a nova tecnologia remota por meio da arquitetura 5G. O fabricante espera que tecnologia se torne mais eficiente e robusta, garantindo a redução nos custos com deslocamentos de funcionários da CAAC, além de permitir que os escassos recursos humanos sejam melhor aproveitados. Um dos desafios da indústria aeronáutica global é a falta de pessoal especializado em homologação e certificação de aeronaves.

A Comac ainda afirma que está trabalhando com outras tecnologias virtuais por conta da pandemia do coronavírus, incluindo testes de aceitação remota do simulador de voo (FSS) do C919 produzidos pela canadense CAE, empresa mundialmente reconhecida como autoridade no projeto e certificação de simuladores.

C929 é um widebody, do porte do Boeing 787, desenvolvido em parceria com a Rússia

A estatal chinesa também está utilizando novos recursos realidade aumentada e robótica para manter o distanciamento social nas equipes de produção do ARJ-21-700 e de desenvolvimento do futuro CR929. Segundo a Comac, os engenheiros conseguiram implementar com sucesso um novo sistema de montagem e conector de cabos baseado em realidade aumentada, reduzindo de três para um o número de funcionários necessários para a operação no avião real.

A fabricante também implementou um novo sistema robótico de perfuração, fixação e varredura de componentes no programa sino-russo CR929, que foi responsável por concluir a montagem de duas fuselagens do primeiro protótipo, mesmo com um número reduzido de funcionários.

Por Gabriel Benevides

Publicado em 6 de Maio de 2020 às 06:00


Notícias notícia de aviação aeronave avião Comac C919 CR929 5G internet CAAC certificação aeronáutica