Sem contato

Caças portugueses interceptam avião da Ryanair que ficou sem comunicação

Após a comunicação ter sido estabelecida o avião seguiu normalmente até o destino


A Força Aérea Portuguesa entrou no programa do F-16 MLU em 2000 | Foto: FAP

Um Boeing 737-8 MAX da Ryanair foi interceptado por dois caças F-16AM da Força Aérea de Portugal (FAP), enquanto fazia um voo entre Londres, Reino Unido a Lanzarote, nas Ilhas Canárias, Espanha, no dia 8 de janeiro.

O motivo da interceptação foi à perda de comunicação do avião da Ryanair, por questões de segurança os caças da FAP foram acionados para averiguar a situação.

O Boeing 737-8 MAX estava a cerca de 90 quilômetros da capital Lisboa quando foi interceptado a uma altitude de 41 mil pés.

Os pilotos dos F-16 constataram que tudo estava em ordem com o avião e quando a comunicação foi estabelecida os caças retornaram à base.

Boeing 737-8 MAX foi interceptado a uma altitude de 41 mil pés | Foto: Reprodução Internet

O voo FR-8288 prosseguiu normalmente até o pouso seguro nas Ilhas Canárias cerca de 80 minutos após o ocorrido.  

Essa foi a primeira interceptação do ano feita por caças da Otan, em 2021 foram mais de 350 interceptações, sendo a maioria de aeronaves militares da Rússia.

  • Receba as notícias de AERO diretamente das nossas redes sociais clicando aqui

Por André Magalhães

Publicado em 12 de Janeiro de 2022 às 15:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação Portugal F-16 Boeing 737 Ryanair Interceptação