Capacidade global

Bombardeiros 'invisíveis' dos EUA realizam escala em Portugal

Durante deslocamento em missão da Otan os B-2 fizeram uma parada técnica na ilha dos Açores


Bombardeiro B-2 em Portugal, nos Açores

B-2 realizou troca de tripulação e reabastecimento em solo a quente, com os motores acionados

A força aérea dos Estados Unidos (Usaf, na sigla em inglês) enviou duas unidades do bombardeiro B-2 Spirit para Portugal, dando prosseguimento as missões conjuntas com países aliados da Otan no continente africano.

Os aviões furtivos partiram da base de Whiteman, estado de Missouri, no centro dos Estados Unidos, para a base de Lajes, nos Açores. A escala em solo português serviu para a troca de tripulação, que ocorreu a quente, ou seja, com os motores das aeronaves em funcionamento em solo, além do reabastecimento.

A manobra com os motores acionados gera ganho de tempo e rápida prontidão tanto da aeronave quanto da tripulação, permitindo um rápido retorno aos céus para dar continuidade na missão.

O modelo adotado é contrário aos demais deslocamentos que contam com apoio integral de aviões tanques. A estratégia com escala técnica permite manter um correto treinamento de equipes avançadas da Usaf em bases da Otan.

 “Essas missões irão adicionar ainda mais profundidade a já histórica iteração da Força-Tarefa de Bombardeiros”, afirmou a Usaf.

A base aérea de Lajes permite ser utilizada como um ponto estratégico para a execução de tarefas essenciais, aumentando a disponibilidade para apoio aos aliados e parceiros com o uso de aeronaves furtivas.

O B-2 possui a capacidade de fácil penetração em defesas aéreas sofisticadas graças as suas características de alta furtividade, garantindo uma maior dificuldade de sua detecção por parte de radares e serviços de inteligência de países considerado hostis aos interesses de Washington.

Por Gabriel Benevides

Publicado em 17 de Março de 2021 às 13:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião B-2 Spirit B-1B Usaf EUA Açores Portugal bombardeiros Otan Nato