Após 18 meses

Autoridades de aviação da Europa concluem ensaios com o 737 MAX

Análise dos dados coletados serão analisados na próxima semana, com certificação esperada para outubro


Voos foram realizados com um 737 MAX 7, matrícula N7201S (aeronave acima)

  • Receba as notícias de AERO diretamente no Telegram clicando aqui

A agência para a segurança da aviação da união europeia (EASA, na sigla em inglês) anunciou que concluiu os voos de certificação com o Boeing 737 MAX. O cronograma de voos ocorreu ao longo desta semana, em Vancouver, Canadá.

O primeiro voo, destinado a comprovar as capacidades das revisões promovidas pela Boeing no 737 MAX, ocorreu no dia 7 de setembro, seguido de avaliações finais no dia seguinte. Por restrições de viagens internacionais, causada pela pandemia e covid-19, os ensaios foram conduzidos no Canadá, local próximo da unidade da Boeing, em Seattle.

Os ensaios foram realizados utilizando um 737 MAX 7 (matricula N7201S), que esteve envolvido também na campanha de testes em voo promovida pela FAA, a agência de aviação civil dos Estados Unidos.

Os voos especiais partiram dos aeroportos canadenses de Vancouver (YVR) e Moses Lake Grant County (MWH), tendo duração entre 30 minutos e mais de 2 horas. Os técnicos da EASA coletaram centenas de dados, que devem corroborar as análises enviadas pela própria Boeing aos agentes reguladores.

O material será analisado por uma comissão especial do Joint Operations Evaluation Board (JOEB), o que deverá ocorrer já na próxima semana. Ainda que exista pouca chance das mudanças serem reprovadas, as autoridades europeias querem garantir que a Boeing cumpriu todo o cronograma exigido no reprojeto da família 737 MAX. “A EASA tem trabalhado constantemente, em estreita cooperação com a FAA e a Boeing, para retornar a aeronave Boeing 737 MAX ao serviço o mais rápido possível, mas apenas quando estivermos convencidos de que é seguro”, afirmou a agência europeia.

Os procedimentos de certificação da família 737 MAX pela FAA foram duramente criticadas pelas autoridades dos Estados Unidos e levantou desconfiança ao redor do mundo, tornando a recertificação mais complexa.

  • Receba as notícias de AERO diretamente no Telegram clicando aqui

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 11 de Setembro de 2020 às 08:00


Notícias notícia de aviação aeronave avião Boeing 737 737 MAX MCAS acidente aéreo FAA EASA certificação Vancuver Canadá