Dois acidentes em 5 meses

Uma das maiores empresas low cost do mundo deverá pedir ressarcimento por perdas com paralisação do 737 MAX

Proibição de voo do modelo na Europa faz ações da Norwegian Airlines cair na bolsa


A norueguesa Norwegian Airlines deverá pedir uma compensação financeira pela proibição de voos com o Boeing 737 MAX em todos os países do bloco europeu. A decisão da EASA, a agencia de segurança de aviação da União Europeia, ocorreu após o acidente com o Boeing 737 MAX, da Ethiopian Airlines, no último domingo.

Atualmente a Norwegian possui 17 Boeing 737 MAX na frota, utilizados em rotas de longo curso e que deveriam compor parte central do plano de frota e rotas da empresa. A expectativa era receber outros 12 aviões do tipo ao longo do ano, com previsão de encerrar 2021 com 70 aeronaves da família 737 MAX.

As ações da Norwegian caíram 10% após o acidente com o avião etíope, motivado pela preocupação do mercado em relação ao impacto da paralização da frota de 737 MAX para a companhia. Durante a abertura do pregão de hoje (13) as ações iniciaram em baixa de 4,8%.

A expectativa é que as autoridades europeias mantenham a restrição de voo dos Boeing 737 MAX até o final das investigações, ou ao menos até a certeza que os dois acidente com o modelo não tenham relação ou causas de projeto.

Por: Edmundo Ubiratan | Imagem: Divulgação

Publicado em 13 de Março de 2019 às 09:00


Notícias Norwegian 737 MAX Boeing Ethiopian