Terceirização

Reino Unido defenderá a Irlanda

Acordo poderá empregar a RAF em missões anti-terrorismo e patrulha do espaço aéreo irlandês


A Irlanda e o Reino Unido deverão formalizar um acordo para defesa de espaço aéreo envolvendo as atividades da Royal Air Force (RAF). O acordo envolve patrulha do espaço aéreo e interceptações em espaço aéreo irlandês por parte das aeronaves britânicas.

A frota de caças da Irlanda conta apenas com o Pilatus PC-9M, sendo assim incapaz de realizar qualquer interceptação em grande altitude ou velocidade. No último ano uma série de aeronaves da força aérea russa se aproximaram espaço aéreo irlandês, em atos provocativos, sendo escoltados pela RAF em todas as ocasiões.

As negociações envolvem uma série de autoridades de ambos os países, como o Departamento Irlandês da Defesa e Departamento de Relações Exteriores, a Autoridade da Aviação Irlandesa, a Royal Air Force, a Autoridade de Aviação Civil, do Ministério da Defesa e das Relações Exteriores do Reino Unido e Commonwealth.

O acordo poderá permitir que militares britânicos possam realizar operações armadas sobre a Irlanda em casos de ataque terrorista, sequestro de aeronaves, e invasão do espaço aéreo por aeronaves hostis.

Nos últimos anos a Irlanda tem cortado seus gastos militares, operando atualmente uma diminuta força militar, com o Air Corps sendo resumido algumas aeronaves de asa fixa e helicópteros, todos basicamente destinados a treinamento e transporte. O PC-9M, a única aeronave de combate, é restrita a missões de interdição e apoio aéreo aproximado.

Da redação

Publicado em 15 de Agosto de 2016 às 17:00


Notícias Royal Air Force RAF Pilatus PC-9M Força Aérea Russa