Boas notícias

Perspectivas de negócios para a Gulfstream se mostram sólidas para 2021

Fabricante aponta confiança de executivos no uso de aeronaves particulares como forma de superar a crise gerada pela covid-19


Mercado de aviação de negócios de longo curso poderá ser um dos primeiros a se recuperar do choque da pandemia

A Gulfstream apontou que a retomada do crescimento na aviação de negócios deverá ocorrer mais rápido do que o previsto. Os executivos do fabricante estão otimistas com a recuperação do segmento iniciada no terceiro trimestre.

Desde o início de julho a Gulfstream passou a reportar uma melhora na atividade, incluindo novas rodadas de negociações, demonstrando que os principais usuários da aviação de negócio de longo curso estão voltando a enxergar um futuro de crescimento nos próximos meses.

A possibilidade de sucesso de uma vacina contra o sars-cov-2, o vírus causador da covid-19, trouxe um impulso positivo ao transporte aéreo e aos mercados, que acreditam na capacidade de vacinação em massa já em 2021.

“Se as vacinas são tão eficazes quanto parecem ser, este é um momento em que sentimos grande otimismo de superar o vírus”, disse de forma bastante otimista Mark Burns, presidente da Gulfstream.

Como adiantado por AERO Magazine ao longo do ano, uma série de usuários da aviação comercial, notadamente clientes de Primeira Classe, passaram a contemplar a aquisição de uma aeronave de negócios após a pandemia. Além de evitar os riscos de contaminação, o uso de aeronaves particulares torna possível voar para destinos e horários inexistentes em linhas regulares, além de maximizar o uso do tempo em voo. “Nas conversas que tive nos últimos seis meses, há muitos novos compradores”, destacou Burns.

Para a Gulfstream, especializada em aeronaves de cabine larga e longo alcance, a pandemia criou uma nova realidade. Ainda que diversas empresas tenham adotado o modelo de trabalho remoto, a necessidade de viagens se manteve praticamente a mesma, mas alertou os executivos para a fragilidade do transporte aéreo regular, que é duramente impacto por diversos fatores externos. “Apesar de toda a tragédia que esta pandemia criou, ela foi um acelerador para muitas empresas”, avaliou Burns.

“Tivemos um terceiro trimestre muito sólido para a atividade de vendas e estamos vendo algumas dessas atividades continuarem aqui no quarto trimestre”, comentou disse Scott Neal, vice-presidente sênior de vendas mundiais da Gulfstream, durante conferência online com a imprensa.

Durante conferência com a imprensa os executivos destacaram que o número de negociações no último trimestre tem demonstrado o potencial de retomada do segmento. “Estamos realizando mais demonstrações de voos, temos mais visitas às fábricas”, apontou Neal. “Os clientes estão engajados e temos perspectivas muito fortes de oportunidades de vendas [não apenas] para o final do ano, mas no próximo ano [2021] também”.

Mesmo diante dos temores de uma segunda onda de contaminação global, a Gulfstream mantém seu calendário de apresentações para clientes. A oportunidade de apresentar o seu portfólio em tempos de crise no transporte aéreo pode ser um diferencial de vendas no curto prazo. Ainda assim, o fabricante destaca que está atendendo aos novos e rígidos protocolos sanitários existentes ao redor do mundo. “Há muitos protocolos que acompanham a capacidade de apresentar as aeronaves. Continuamos a nos encontrar com os clientes pessoalmente com as devidas precauções”, alertou Burns.

  • Se inscreva no canal da AERO Magazine no YouTube clicando aqui

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 23 de Novembro de 2020 às 15:20


Notícias notícias de aviação aeronave avião Gulfstream G500 G600 Mach jatinho avião de negócio executivo Mark Burns covid-19