Déjà vu

Pentágono suspende voos dos F-35 após motor de avião pegar fogo

Segundo incêndio ocorreu após o país afirmar que aeronave estava ‘pronta para combate’


Altamente tecnológico, um único F-35A custa certa de US$ 150 milhões aos Estados Unidos. Sua frota, cerne do futuro poder de combate da força aérea nacional, porém, enfrenta sérios problemas com um motor propenso a chamas. Na última sexta-feira, uma aeronave sofreu um incêndio no momento de partida, na base da USAF em Mountain Home, em Idaho.

Extinto rapidamente e sem deixar feridos, o fogo ainda tem causa desconhecida. Entretanto, suspeita-se que as palhetas foram danificadas após o contato repetitivo com uma vedação de poliamida do conjunto rotor. O elevado grau de atrito, portanto, poderia ter gerado calor suficiente para rompê-las e, assim, cortar as tubulações de combustível, dando início ao incidente.

Vale lembrar que há praticamente dois meses a USAF declarou que o F-35A estava “pronto para combate”; e que em junho de 2014, um turbofan Pratt & Whitney F135 já havia pegado fogo, na base aérea de Eglin, na Flórida. Segundo autoridades, porém, as duas ocorrências não possuem relação. Ainda assim, o Pentágono ordenou a paralisação temporária de todos os F-35 do Joint Strike Fighter, nas três versões, como medida preventiva.

Ernesto Klotzel

Publicado em 28 de Setembro de 2016 às 14:10


Notícias USAF F-35A F-35 Joint Strike Fighter