AERO Magazine

Proibido de voar

Nasa e força aérea dos Estados Unidos vão atuar na validação do sistema do Boeing 737 MAX

Junta de especialistas deverá validar as alterações de software propostas pela Boeing

Por Edmundo Ubiratan | Fotos: Divulgação em 10 de Maio de 2019 às 14:00

A FAA (Federal Aviation Administration), a agência de aviação dos Estados Unidos, convocou uma junta de analise para um painel de especialistas da força aérea dos Estados Unidos e da Nasa, para analisar as correções de software do Boeing 737 MAX.

A agência anunciou um novo conselho consultivo técnico do chamado Joint Authorities Technical Review (JATR), que recebeu uma extensa visão geral e participou de discussões subsequentes sobre o design, certificação, regulamentos, conformidade e treinamento sobre as mudanças realizadas no 737 MAX.

LEIA TAMBÉM

Problema com o 737 MAX era conhecido pela Boeing em 2017

Acidente com o 737 da Ethiopian abre questionamentos sobre processo de certificação

Boeing recebe primeiro cancelamento para o 737 MAX

Garuda Indonesia foi a primeira empresa a cancelar pedidos do 737 MAX

Além de participarem dos detalhes finais das mudanças exigidas no 737 MAX, nos próximos meses os participantes da JATR farão uma análise abrangente dos processos de certificação da FAA para o sistema de controle de voo automatizado da aeronave. Cada participante fornecerá individualmente as conclusões sobre a adequação do processo de certificação e quaisquer recomendações para melhorar o processo.

O JATR foi criado apenas como uma fonte de análise e consultoria externa, não sendo necessária a concordância da junta para aprovar melhorias para o retorno dos voos do 737 MAX.

A Boeing trabalha em uma completa reformulação do sistema de software para diminuir a probabilidade de falhas no sistema MCAS, que controla o ângulo de ataque do avião. Todavia, o fabricante não concluiu o processo e não possui uma data final para entregar a versão final revisada. A expectativa é que o 737 MAX continue nas próximas semanas proibido de voar em todo o mundo. Além disso, após ser autorizada a retomada dos voos, os aviões já em serviço deverão ser atualizados, o que demandará mais tempo até a efetiva volta aos céus do modelo.

Toda a família 737 MAX foi proibida de voar em 10 de março, após o segundo acidente fatal em menos de cinco meses. Após a extensa mudança no sistema de propulsão, com instalação de motores maiores e recalibração do centro de gravidade da aeronave, a Boeing projetou um sistema que automaticamente forçava o nariz para baixo em algumas circunstâncias, porém, o mau funcionamento do sistema e possíveis falha no treinamento, levou a perda de controle em dois voos, que ao total vitimou 346 pessoas.


Notícias Boeing 737 737 MAX Lion Air Ethiopian MAX Nasa USAF


Praetor 600

Assine

Impressa
1 ano
Impressa
2 anos
Digital
1 ano
Digital
2 ano

Assine InnerImpressaImpressaDigitalDigital
1 ano2 anos1 ano2 ano
Edições12241224
Comprando Avulso você pagariaR$ 216,00R$ 432,00R$ 216,00R$ 432,00
Assine Agora porR$ 216,00R$ 432,00R$ 64,80R$ 100,00
Desconto
EconomizaR$ 151,20R$ 332,00
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 72,00 6x R$ 72,00
Assinando agora você GANHA também 4 Pôsteres PORTA COPOS

Boletim AERO Magazine

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas