Flexibilidade e performance

Mesmo com economia global em crise a aviação executiva cresceu em 2021

Setor se destacou por sua maior flexibilidade durante a pandemia e conquistou novos usuários


Pilatus PC-12NGX

Entrega de turbo-hélices cresceu 40,6% nos primeiros nove meses de 2021 | Foto: Divulgação

Os números de entregas de aeronaves novas no setor de aviação executiva cresceram no terceiro trimestre de 2021, em comparação com o mesmo período do ano passado. O crescimento ocorreu entre turbo-hélices, jatos e helicópteros, com uma ligeira redução entre aviões a pistão.

O resultado faz parte do relatório do GAMA (General Aviation Manufacturers Association), a associação dos fabricantes de toda a aviação geral, que monitora mensalmente o desempenho do setor.

O crescimento da aviação geral demonstra a força do setor e a importância do transporte executivo para geração de novos negócios e a manutenção da economia em escala global. Com a crise sanitária diversas empresas e executivos optaram por utilizar pela primeira vez o transporte privado, que pode continuar operando com menores restrições que o transporte aéreo regular, em especial quanto a possibilidade de voar com flexibilidade de horários e destinos.

As entregas de aviões novos nos primeiros nove meses do ano, em comparação com o mesmo período de 2020, registrou uma pequena redução entregas de modelos a pistão, com seis unidades a menos, acumulando até setembro um total de 895 unidades; por outro lado, a entrega de aviões turbo-hélices aumentou 40,6%, com total de 357 unidades; e as entregas de jatos executivos aumentaram 15,9%, com 438 aviões.

O destaque para aviões turbo-hélices, que oferecem uma relação custo e capacidade adequada para novos entrantes na aviação executiva, especialmente em relação a países como Brasil, com ampla oferta de aeroportos secundários e de fácil acesso para regiões do interior do país, mas com ausência de voos regulares.

O valor das entregas de aviões até o terceiro trimestre de 2021 foi de US$ 13,4 bilhões (R$ 75,17 bilhões), alta de aproximadamente 13,0%.

AW109

 

O setor de asas rotativas também apresentou bom resultado nos nove primeiros meses do ano, com as entregas de helicópteros a turbina registrando aumento de 23,5%, com 410 unidades; e as entregas de helicópteros a pistão aumentaram 24,8%, com 131 unidades.

“Os primeiros nove meses de 2021 mostraram um grande progresso e estamos ansiosos para ver como o ano se encerrará”, disse Pete Bunce, presidente e CEO da GAMA.

Um dos desafios para os fabricantes tem sido os problemas na cadeia de suprimentos, fortemente afetadas durante a pandemia e que estão gerando dificuldades gerais em todo o mundo.

“Apesar das restrições impostas pela escassez de peças e pessoas, nossos fabricantes e fornecedores estão trabalhando duro para atender à crescente demanda por aeronaves novas e usadas, que obviamente saudamos e abraçamos”, destaou Bunce.

  • Receba as notícias de AERO diretamente das nossas redes sociais clicando aqui

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 28 de Novembro de 2021 às 14:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião helicóptero aviação Gama jatinho