Frota atual super os 430 aviões da família 737

Maior empresa de baixo custo da Europa amplia pedido de aviões

Ryanair encomenda mais 25 Boeing 737 MAX em acordo avaliado em US$ 3 bilhões


A Ryanair e a Boeing formalizaram um acordo para uma encomenda adicional para o 737 MAX, envolvendo 25 aeronaves. O acordo é avaliado em US$ 3 bilhões e eleva o pedido da empresa irlandesa para a família 737 MAX para 135 aviões.

Atualmente, a Ryanair é a maior empresa de baixo custo da Europa e também a maior operadora do 737 no continente, com mais de 400 aviões na frota. A família MAX foi chamada pelo presidente da Ryanair, Michael O’Leary de “agente de mudança de regras#2” e acredita que o modelo poderá permitir a empresa atingir a meta de transportar 200 milhões de passageiros ao ano, em 2024. A empresa afirma que o avião mudou as regras ao oferecer uma economia de até 16% no consumo de combustível e o maior número de assentos na cabine. A Ryanair confirmou que manterá a configuração atual de 197 assentos no 737 MAX, ante os 189 dos atuais 737 NG em uso. Todavia, a empresa afirma que o interesse pelo 737 MAX 10, que pode transportar até 230 passageiros, mas só ocorrerá caso o valor unitário seja reduzido.

No entanto, a empresa aérea tem lutado para preencher seu quadro de pilotos frente ao aumento de capacidade. Recentemente a companhia foi forçada a cancelar milhares de voos nos últimos meses de 2017, por falta de pilotos. A empresa é famosa por baixos salários e condições extremas de trabalho. Ainda assim, a decisão de exercer uma nova encomenda de aviões é vista como um sinal que a direção da Ryanair confia na continuidade de sua política de expansão. Atualmente além de voar em quase a totalidade do continente europeu (zona de Schengen), a empresa oferece voos para Israel e Ucrânia. A expectativa é concluir o contrato de opções de compra original, que prevê ainda mais 75 aviões.

Por Ernesto Klotzel

Publicado em 25 de Abril de 2018 às 17:00


Notícias Ryanair 737 Boeing 737 MAX