Lockheed Martin F-35B

Jatos americanos F-35 operarão em porta-aviões britânico

As aeronaves dos Fuzileiros Navais estarão a bordo do futuro porta-aviões Queen Elizabeth


 

O Reino Unido e os Estados Unidos assinaram um acordo de cooperação no domínio da aviação naval, que permitirá que jatos F-35B do Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos (USMC) operem a partir do futuro porta-aviões Queen Elizabeth da Real Marinha Britânica, em seu primeiro deslocamento operacional previsto para 2021.

A Marinha Britânica receberá o primeiro de seus dois porta-aviões em 2018. O pessoal da aviação naval está treinando em instalações dos Estados Unidos para a implementação do futuro caça de decolagem curta e pouso vertical (STOVL) da Lockheed Martin. A Real Força Aérea deve, eventualmente, operar uma frota de uma centena de F-35B.

A capacidade STOVL habilita o F-35B a operar numa multiplicidade de locais, como navios, estradas e bases aéreas rústicas. A operação STOVL tornou-se possível devido à utilização do sistema de propulsão patenteado "shaft-driven LiftFan", que em termos simplificados é a vetorização do fluxo de impulso através de eixos e ventoinhas, para partes distintas da aeronave.

Os principais utilizadores são os Fuzileiros Navais dos Estados Unidos, a Força Aérea e a Marinha do Reino Unido e a Marinha Italiana. A Real Força Aérea deve, eventualmente, operar uma frota de uma centena de F-35B.

 

Santiago Oliver

Publicado em 19 de Dezembro de 2016 às 16:41


Notícias RAF Lockheed Martin F-35B USMC