Violação de convenções

Iata pressiona governos a desbloquearem quase US$ 1 bilhão em receitas aéreas

Valor pode ajudar na recuperação do setor no pós-pandemia


Aeroporto de Brasília

Órgão fez apelo para que países não pensem em si mesmos neste momento

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata) está pressionando governos para que companhias aéreas possam repatriar cerca de US$ 963 milhões (R$ 5,22 bilhões) em fundos bloqueados de vendas de passagens, operações de carga e outras atividades.

Segundo o órgão, mais de 60% deste valor está concentrado em quatro países. Só em Bangladesh, Líbano, Nigéria e Zimbábue, US$ 608,1 milhões (R$ 3,3 bilhões) estão retidos. Outras dezesseis nações também estão adotando tal medida, o que viola convenções internacionais.

"Isso pode retardar a recuperação das viagens e do turismo nos mercados afetados à medida que a indústria aérea luta para se recuperar da crise da covid-19. Agora não é hora de marcar um 'objetivo próprio' colocando em risco a conectividade aérea vital", disse o diretor-geral da Iata, Willie Walsh.

  • Receba as notícias de AERO diretamente das nossas redes sociais clicando aqui

Marcel Cardoso

Publicado em 19 de Agosto de 2021 às 09:45


Notícias noticias noticias de aviação Iata Governos Bloqueio Receitas Países