Batalha por operadores

Gripen participa de concorrência para novo caça nas Filipinas

Modelo sueco busca novos compradores enquanto avança no seu desenvolvimento


Gripen E da força aérea da Suécia e da força aérea brasileira

Filipinas pretende adquirir o Gripen C/D, versão anterior dos modelos encomendados pelo Brasil e Suécia

A concorrência para a aquisição de um novo caça poderá colocar as Filipinas como cliente do Gripen. O caça sueco é um dos que disputam o projeto de modernização da força aérea do país, ao lado do norte-americano F-16V.

O programa Multi-Role Fighter, da Força Aérea das Filipinas (PAF, na sigla em inglês) faz parte de um ambicioso projeto de ampliação das capacidades de defesa do país, que foi dividido em três fases e tem duração previsto para ocorrer ao longo de dez anos.

A primeira etapa, iniciada em 2017, incluiu a compra de seis A-29B Super Tucano e doze caças leves FA-50 Golden Eagle, este último de origem coreana. A próxima fase inclui a modernização da linha de frente de caças, que está sem um vetor de alta capacidade desde a aposentadoria dos F-5A/B em 2005.

Considerado bastante obsoletos no início dos anos 2000, os F-5 filipinos sofriam com a idade avançada das células e a falta de peças de reposição. Com a aposentadoria do avião, a PAF perdeu sua capacidade de voo supersônico por vários anos. Os FA-50 embora sejam considerados caças leves, oferecem capacidade multimissão e de treinamento avançado.

A compra de modernos caças é uma antiga ambição filipina, que desde o final dos anos 1990 planeja uma modernização de suas capacidades. Na época cogitou-se a compra dos F-16C/D e F/A-18 Hornet, mas a crise financeira que atingiu a Ásia impediu o avanço do projeto.

O atual presidente, Rodrigo Deterte, poderá assinar a compra dos caças antes do final do seu mandato, em 2022. Atualmente os Estados Unidos ofereceram formalmente os F-16V, após a visita oficial do governo das Filipinas, incluindo o secretário de Defesa Delfin Lorenzana, a Washington.

A concorrência tem na lista os F-16V e o Gripen, que disputam a segunda fase do contrato de modernização da PAF e devem ser entregues antes do final da década. De acordo com a Saab a oferta é referente exclusivamente ao Gripen C/D.

As Filipinas avaliaram uma série de concorrentes, incluindo o F/A-18 Super Hornet, o recém-lançado MiG-35, o Sukhoi Su-35, o F-16V e o Gripen. Os modelos russos tinham poucas chances, especialmente pelo maior alinhamento de Manila com os Estados Unidos. Aliás, a compra dos Super Tucanos foi favorecida pelo programa de vendas militares estrangeiras (FMS, na sigla em inglês) do Departamento de Defesa norte-americano.

*Ao contrário do informado originalmente, a Saab afirma que ainda não é finalista na concorrência das Filipinas, ainda que continue na disputa. Por ora, também o Brasil foi o único cliente internacional do Gripen NG (Gripen E/F), que também será operado pela Suécia. 

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 23 de Março de 2021 às 08:50


Notícias notícias de aviação aeronave avião Gripen Gripen E caça aviação FAB Saab Suécia avião de guerra Filipinas MiG-35 Su-35 F-16 F-5