Desenvolvimento central

Goiás deverá contar com novo polo aeronáutico e aeroporto privado

Complexo será construído na região de Goiânia e pretende atrair a aviação geral e setor aeroespacial


Polo aeronáutico em Goiás pretende atrair aviação de negócios e indústria aeroespacial

Receba as notícias de AERO diretamente no TelegramWhatsApp e Instagram

O estado de Goiás deverá ganhar um novo aeroporto privado e um novo polo aeronáutico, com lançamento previsto para ocorrer em outubro e as obras da fase 1 serão concluídas em 2024.

O chamado Antares Polo Aeronáutico será construído na região metropolitana de Goiânia, na cidade de Aparecida de Goiânia, com um investimento estimado de R$ 100 milhões. A área do aeródromo terá 209 hectares, com um projeto voltado para aviação de negócios, manutenção e operações logísticas.

O Grupo Empreendedor responsável pelo Antares inclui as empresas Tropical Urbanismo, Innovar Construtora, CMC Engenharia, BCI Empreendimentos e Participações e RC Bastos Participações. A empresa afirma que já conta com todas as licenças para as obras, incluindo as ambientais e a construção será em cinco fases e para o lançamento serão disponibilizados apenas 200 lotes para venda. A estrutura de apoio e a pista tem previsão de início de obras para 2021 e ficarão prontos em 2024.

O projeto contempla uma pista de 1.800 metros, capaz de receber aeronaves de code C, que inclui os Airbus A320 e Boeing 737-800, além da família E-Jet da Embraer, que poderão realizar serviços de manutenção no aeroporto.

O empreendimento espera atrair empresas de táxi aéreo, serviço aeromédico, manutenção, hangaragem, escolas para formação de pilotos e estrutura de apoio, com comércio, restaurantes e hotel. A expectativa é atrair também indústrias do setor aeroespacial, com destaque para fornecedores de componentes aeronáuticos, motores, entre outros. Também se acredita no potencial interesse de empresas de logística.

“Os estudos feitos mostram não apenas o enorme potencial do Centro-Oeste para a aviação, como a altíssima dependência hoje da aviação executiva em relação aos grandes aeroportos. Precisamos de mais aeroportos dedicados à aviação executiva”, disse Rodrigo Neiva, Diretor Comercial do Antares. Ele destaca também o fato do novo empreendimento ser capaz de atender diversas necessidades em um só lugar, com um diferencial importante, os lotes poderão ser adquiridos, o que não acontece hoje nos demais aeroportos do país.

O Centro-Oeste concentra grande parte da movimentação da aviação geral no Brasil e o Antares quer absorver parte dos 63 mil pousos e decolagens realizados na região todos os anos.

Saiba mais...

A região concentra uma frota com mais de 3.500 aeronaves, com um crescimento de 1% apenas em 2017, ante o restante do país onde a frota no período cresceu 0,1%. Apenas em aeronaves destinadas a aviação agrícola são 470 aviões. Atualmente os três estados centrais contam com 46% dos aeródromos privados do país, sendo que 399 estão no Mato Grosso.

Em todo o Brasil, a frota de aviação geral ultrapassa as 15 mil aeronaves e se posiciona como a segunda maior do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos.

  • Receba as notícias de AERO diretamente no Telegram clicando aqui

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 16 de Setembro de 2020 às 11:01


Notícias notícia de aviação aeronave avião Boeing 737 Airbus A320 Embraer E-Jet aviação de negócios turbina aeroespacial Goiás aeroporto