Desempenho positivo

Fornecedora dos caças da FAB, a Saab apresenta resultados positivos no primeiro semestre

Fabricante sueco obteve novos contratos mesmo diante do cenário de pandemia


Brasil é um dos principais parceiros da Saab, através do contrato para o caça Gripen E/F

  • Faça parte do grupo de AERO Magazine no Telegram clicando aqui

A Saab apresentou os resultados do primeiro semestre de 2020, com forte impacto relacionado a pandemia de covid-19. A conjuntura que afetou praticamente todos os segmentos do mercado internacional teve especial impacto na divisão civil do fabricante sueco.

Durante o segundo trimestre de 2020, auge da pandemia, a Saab utilizou efetivamente a tecnologia moderna para interagir com clientes novos e existentes. Em nota a companhia afirma que, apesar desses desafios, apresentou um forte desempenho no período e os resultados do primeiro semestre estão alinhados com os do ano passado.

A Saab garantiu um aumento de pedidos ao longo do segundo trimestre além da realização bem-sucedida de marcos importantes. “Entretanto, devido à pandemia, a Saab não pode descartar a possibilidade de outros impactos em seus negócios, principalmente na cadeia de suprimentos”, informou a empresa em comunicado.

A expectativa é ingressar no terceiro trimestre com uma forte carteira de pedidos que continua a sustentar uma parcela significativa das vendas esperadas para este ano, mantendo um fluxo de caixa operacional positivo permanece.

Ao contrário de diversos fabricantes do setor aeroespacial que registraram perdas, a Saab encerou o semestre com novos pedidos, com aumento de 45% nos acordos, atingindo 14.070 milhões de Coroas Suecas. O resultado se deve a demanda continuada por produtos e soluções de defesa, um dos principais negócios da companhia sueca.

No período a empresa recebeu pedidos de grande e médio porte, enquanto o acréscimo de pequenas encomendas foi de 9%. Os pedidos no segundo trimestre incluem contratos de suporte do Gripen e do SK60 na Suécia, aquisições de Sistemas Aéreo de Alerta e Controle (AEW&C) além de encomendas dos sistemas Carl-Gustaf pelos EUA, Estônia e Letônia.

“A Saab segue executando a sua estratégia com foco em maior internacionalização e mais investimentos nas principais áreas do portfólio de produtos. O foco também está na execução de projetos, e a Saab continua comprometida com as suas metas financeiras de longo prazo voltadas para o crescimento e a lucratividade”, comentou a empresa.

No primeiro semestre do ano as receitas operacionais totalizaram 1.212 milhões de Coroas Suecas, correspondendo a uma margem de 7,2%. O impacto negativo nos negócios na área civil foi compensado pelo volume maior de vendas na área de defesa e pela redução de custos.

Durante o segundo trimestre, a Saab entregou o primeiro sistema de vigilância GlobalEye para os Emirados Árabes Unuidos e concluiu os primeiros testes de voo com o novo radar X-band AESA. No decorrer do trimestre, a parceria com o Reino Unido, referente ao Sistema de Combate Aéreo do Futuro (FCAS), foi intensificada e novos estudos foram conduzidos.

Ainda assim, em virtude da incerteza relacionada à magnitude e duração da crise do coronavírus, a Saab declarou no relatório interino do primeiro trimestre de 2020 que a previsão anterior para o ano de 2020 não pôde ser confirmada.

  • Receba as notícias de AERO diretamente no Telegram clicando aqui

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 20 de Julho de 2020 às 14:40


Notícias notícia de aviação aeronave avião Saab Gripen Finlândia Programa F-X2 FAB Gripen NG Gripen E Gripen F covid-19 pandemia