Coronavírus

39 voos em três meses, 1,2 mil toneladas de carga e 240 milhões de máscaras

Governo e Latam concluem megaoperação de transporte de máscaras da China


Equipe envolvida no último voo da Latam na operação de combate a covid-19

  • Faça parte do grupo de AERO Magazine no Telegram clicando aqui

A Latam realizou o último voo da megaoperação destinada a trazer suprimentos médicos para combate a covid-19. Ao longo de três meses foram feitas 39 viagens com destino a China, que permitiu transportar 240 milhões de máscaras cirúrgicas e N95 adquiridas pelo Governo Federal. Ao todo foram transportadas mais de mil toneladas de insumos, que estão sendo distribuídos aos profissionais de saúde nas 27 unidades da federação.

O Boeing 777-300ER da Latam, que cumpriu o voo JJ9553, proveniente de Guangzhou (China), pousou às 21h46 no aeroporto de Guarulhos, trazendo o último lote de cargas do Ministério da Saúde, contemplando 3,7 milhões de máscaras N95. Assim como em outros voos, a carga foi disposta também na cabine de passageiros, que foi configurada para receber 5.880 caixas com o produto.

O acordo com a Latam foi realizado pelo Ministério da Infraestrutura após realizar cotação internacional e definir o melhor preço para realização dos voos para a China. O primeiro lote da carga chegou ao Brasil no dia 6 de maio.

"Centenas de profissionais encararam essa operação inédita como uma verdadeira missão pelo país", disse o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

A Latam teve de reconfigurar seu 777-300ER para acomodar uma grande quantidade de carga, utilizando parte da cabine de passageiros para a missão especial. Além disso, a empresa teve de planejar uma rota inédita para a China, preparando todas as equipes envolvidas para voar para a Ásia pela primeira vez, necessitando conhecer novas regras de voo e procedimentos existentes apenas na China.

De acordo com nota, mais de 300 funcionários da companhia foram responsáveis por viabilizar a operação, envolvendo mecânicos, despachantes de voo, funcionários de logística, além de pilotos e comissários.

As Boeing 777 da Latam ao todo voaram aproximadamente de 1,9 milhão de quilômetros, cinco vezes a distância entre a Terra e a Lua, passando pelas cidades chinesas de Xangai, Guangzhou, Xiamen, Amsterdã, na Holanda, Auckland, na Nova Zelândia e Santiago, Chile. Foram necessárias 2.550 horas de voo, o equivalente a 106 dias inteiros no ar.

"Dedicamos toda a nossa expertise logística à luta contra essa pandemia e reinventamos a nossa operação em um espaço muito curto de tempo. Estamos orgulhosos do resultado alcançado porque ele comprova a excelência do trabalho em equipe de mais de 300 colaboradores focados em um objetivo maior", afirmou Diogo Elias, diretor da Latam Cargo Brasil.

Raio-x da operação (de 6 de maio a 19 de julho)

• 39 voos realizados

• Cinco Boeing 777-300ER

• 240 milhões de máscaras trazidas ao Brasil

• 146.661 caixas (1,2 mil toneladas), suficientes para ocupar o volume até a borda de cinco piscinas olímpicas

• 300 funcionários da Latam envolvidos

• Equipes formadas por mecânicos, despachantes operacionais, pilotos, supervisores, coordenadores, planejadores, funcionários, de carga e apoio em solo

• 2.550 horas voadas, o equivalente a 106 dias inteiros no ar

• 1,9 milhão de quilômetros percorridos, aproximadamente cinco vezes a distância entre a Terra e a Lua

• 11 fusos horários diferentes

• Voos para as cidades de Xangai, Guangzhou, Xiamen, Amsterdã, Auckland e Santiago

  • Receba as notícias de AERO diretamente no Telegram clicando aqui

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 20 de Julho de 2020 às 10:30


Notícias notícia de aviação aeronave avião Boeing 777 777-300ER Latam GRU China coronavírus N95 máscara covid-19 Governo Brasileiro