Herdeiro do Flanker

Força Aérea da Rússia recebe seu último Su-34

Contrato final previa apenas cem aeronaves e projeto sofreu atrasos de 30 anos


Su-34 está entre os maiores aviões de combate do mundo

A Sukhoi entregou o último caça-bombardeiro Su-34 para a Força Aérea da Rússia, concluindo assim o contrato para fornecimento de cem aeronaves.

O final da produção do modelo original ocorre após trinta anos do primeiro voo, quando o Su-34 passou por um longo processo de desenvolvimento, sendo aceito na força aérea apenas em 2014, mais de duas décadas depois de sua estreia como protótipo.

O desmantelamento da União Soviética e a grave crise financeira pelo qual atravessou a Rússia retardou o desenvolvimento e entrega dos Su-34, que ainda teve o total produzido muito abaixo do esperado.

De acordo com a agência de notícias militares TASS, o Ministério da Defesa da Rússia e a Sukhoi discutem os termos para a produção de um lote adicional de uma versão modernizada do caça, que será designado como Su-34M. O contrato deverá ser assinado em meados de 2021, dando sobrevida ao projeto.

Atualmente os Su-34 são produzidos nas instalações da Novosibirsk Aircraft Enterprise, uma divisão da Sukhoi localizada na cidade Novosibirsk, no extremo oriente da Rússia.

Derivado direto da bem-sucedida família Flanker, o Su-34 é um caça-bombardeiro supersônico de múltiplo emprego, podendo atacar tanto alvos em terra quanto no mar. O avião tem alcance de 4.000 km, ainda que em combate o valor seja consideravelmente menor, com velocidade máxima de Mach 1,7. A capacidade máxima de carga do Su-34 é na ordem de oito toneladas, o que o torna um dos maiores caças-bombardeiros da atualidade.

  • Se inscreva no canal da AERO Magazine no YouTube clicando aqui

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 4 de Dezembro de 2020 às 14:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião Sukhoi Su-34 Su-27 Flanker caça bombardeiro força aérea Rússia