Futuro sem pilotos

Drone reabastece em voo caça da Marinha dos Estados Unidos

Ensaio envolveu a primeira transferência de combustível entre uma aeronave não tripulada e um avião


MQ-25 reabastecendo um F/A-18

MQ-25 realizou o primeiro contato com transferência de combustível para um caça F/A-18 Super Hornet

A Marinha dos Estados Unidos (US Navy, na sigla em inglês) realizou, em parceria com a Boeing, o primeiro reabastecimento ar-ar utilizando como avião tanque um modelo não tripulado. O ensaio foi realizado no último dia 4, utilizando um drone MQ-25 e um caça F/A-18 Super Hornet.

Durante um voo de teste, o MQ-25 T1 estendeu com sucesso a mangueira e o drogue que após ser acoplado no caça transferiu com segurança o combustível, demonstrando capacidade de cumprir sua missão principal de reabastecimento aéreo.

A intenção é viabilizar o uso de aeronaves não tripuladas em missões de reabastecimento em voo, especialmente para proporcionar maior segurança em operações embarcadas. Atualmente este trabalho é realizado utilizando outro caça, que recebe tanques especiais com sondas que permitem reabastecer em casos específicos a frota de aviões da US Navy.

"Esta equipe de profissionais foi fundamental para o sucesso do vôo", disse o contra-almirante Brian Corey, que supervisiona o Escritório Executivo do Programa de Aviação Não Tripulada e Armas de Ataque. "Nos próximos anos, trabalharemos lado a lado com a Boeing para fornecer essa capacidade que aprimorará muito a futura asa aérea das companhias aéreas".

"Este evento histórico é um crédito para nossa equipe conjunta da Boeing e da Marinha que está empenhada em fornecer a capacidade crítica de reabastecimento aéreo do MQ-25 para a frota [de caças] o mais rápido possível", disse Leanne Caret, presidente e CEO da Boeing Defense.

As forças armadas dos Estados Unidos têm ampliado os estudos para utilizar veículos aéreos não tripulados em uma série de missões adicionais. Atualmente estas aeronaves realizam voos de monitoramento, vigilância e ataque, mas podem ampliar o leque de serviço com reabastecimento em voo, transporte de cargas, entre outros.

Durante a parte inicial do voo, o piloto de testes do F/A-18 voou em formação fechada atrás do MQ-25 para garantir o desempenho e estabilidade antes do contato para reabastecimento, que exige ao menos 6 metros de separação, visando não apenas a segurança da manobra, mas também a pressão correta do fluxo de combustível.

A mangueira e a sonda do MQ-25 T1 é estendida até o F/A-18 realizar o contato, enquanto ambas as aeronaves voam em velocidades e altitudes próximas, com variações quase imperceptíveis.

A capacidade ocorreu após 25 voos de ensaio de todo o envelope de voo, bem como simulações extensas de reabastecimento aéreo usando modelos digitais do MQ-25. O drone agora continuará os testes antes de ser enviado para Norfolk, Virgínia, para iniciar os ensaios embarcados em um porta-aviões da marinha. Na sequência serão realizados voos de reabastecimento em alto mar, possivelmente envolvendo outro F/A-18 Super Hornet.

A aeronaves usada nos testes faz parte de um lote de sete modelos de teste que a Boeing está fabricando sob um contrato de 2018. O MQ-25 assumirá a função de aeronave tanque atualmente desempenhada pelos F/A-18, permitindo um melhor uso dos caças e ajudando a estender o alcance da asa aérea do porta-aviões. Além disso, ampliará a segurança das operações, reduzindo os riscos da perda de duas aeronaves importantes para a força tarefa.

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 7 de Junho de 2021 às 11:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação F/A-18 Boeing.MQ25 MQ-25 T1 US Navy marinha drone não tripulado