20 meses depois

Diretor da FAA pilota o 737 MAX e afirma que ajustes ainda devem ser feitos

Mesmo aprovando as mudanças realizadas, Steve Dickson acredita que a nova certificação só deve ser emitida em novembro


Diretor da FAA, Steve Dickson, inspeciona o 737 MAX antes de voar pessoalmente o avião

A recertificação do 737 MAX era aguardada para os próximos dias, mas após o voo do diretor FAA, Steve Dickson, a Boeing deverá revisar alguns protocolos antes de receber sinal verde para retomada dos voos. A expectativa é que agora o documento seja emitido apenas em novembro.

O diretor da FAA havia anunciado meses atrás que fazia questão de pilotar o 737 MAX antes da agência emitir um novo certificado de aeronavegabilidade. Todavia, Dickson afirmou que havia aprovado o voo, mas o que foi feito ainda não era suficiente para a certificação. “Gostei do que vi no voo esta manhã, mas ainda não chegamos ao ponto em que concluímos o processo”.

O voo de teste ocorreu no último dia 30 de setembro, com Dickson honrando o compromisso feito um ano atrás, quando disse que a certificação só ocorreria após ele voar a aeronave e comprovar pessoalmente as mudanças aplicadas.

“Meu voo de hoje e o treinamento que fiz me deram uma excelente base como aviador para ser capaz de entender os sistemas [relacionados ao MCAS] e como eles estão sendo empregados no cockpit e como o avião se comporta”, afirmou Dickson.

  • Receba as notícias de AERO diretamente no Telegram clicando aqui

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 2 de Outubro de 2020 às 14:00


Notícias notícia de aviação aeronave avião Boeing 737 737 MAX 777X MCAS acidente aéreo FAA certificação Steve Dickson