Piloto-proprietário

Epic recebeu da FAA o certificado para produção em série

E1000 foi recém homologado nos EUA e promete brigar pelo segmento de monoturbo-hélices


E1000 é produzido em material composto o que permitiu utilizar avançadas soluções aerodinâmicas em seu projeto | Imagens: Epic Aircraft/Jessica Ambats

  • Faça parte do grupo de AERO Magazine no Telegram clicando aqui

A Epic Aircraft que recebeu da FAA, a agência de aviação civil dos Estados Unidos, o Certificado de Produção (PC, na sigla em inglês) para o turbo-hélice E1000. O documento permite que o fabricante acelere as entregas de aeronaves, já que poderá produzir, testar em voo e emitir os certificados de aeronavegabilidade dentro de requisitos que reduzem a burocracia.

A obtenção do PC permite o fabricante ter autonomia na comprovação dos requisitos básicos de produção, sendo amplamente empregado por toda a indústria aeronáutica, inclusive pelos grandes fabricantes. Anteiormente, a Epic necessitava da presença de técnicos da FAA comprovando pessoalmente os processos de fabricação dos aviões.

"Obter o certificado de produção da FAA é um marco tremendo", disse o CEO da Epic, Doug King. “É um processo rigoroso que envolve a aprovação de um grande número de documentos, processos e sistemas, com [materiais] compostos que agregam complexidade adicional”.

A Epic iniciou a produção e venda dos E1000 em uma versão experimental, visando obter capacitação técnica e recursos financeiros adicionais para a certificação do modelo. A busca da empresa pelo certificado de produção começou anos atrás, em paralelo com o programa de Certificação de Tipo, este último concluído em novembro de 2019. O processo exigiu a obtenção inicial do chamado Production Audit, que realiza uma auditoria em toda a cadeia de produção. Todavia, as limitações de viagem exigidas impostam pela pandemia de covid-19 atrasaram o processo final para a emissão do PC.

“Aplaudimos as FAA por sua rápida adoção de novas tecnologias em face dessa pandemia, permitindo-nos manter o processo do PC avançando e, finalmente, obtendo aprovações finais”, comentou King.

Em 2020 a empresa concluiu três entregas de aeronaves, mas mantém os planos para acelerar ainda mais os cronogramas de produção do monomotor turbo-hélice.

O E1000 é um monoturbo-hélice de seis lugares, totalmente produzido em carbono, equipado com um motor PT6A-67A de 1200 hp. O design avançado permite o modelo voar com velocidade de cruzeiro de máxima de 333 nós (615 km/h), com uma razão de subida de 4.000 pés por minuto, e teto operacional de 34.000 pés.

  • Receba as notícias de AERO diretamente no Telegram clicando aqui

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 24 de Julho de 2020 às 12:00


Notícias notícia de aviação aeronave avião Epic E1000 Pratt & Whitney PT6 monomotor turboélice piloto FAA certificado aeronáutico