Prova de fogo

Certificação do novo G500 depende de realização de novos ensaios

Fabricante tenta acordo com autoridades para manter cronograma dentro dos prazos


O anúncio de que o Gulfstream G500 realizaria novamente alguns testes de certificação causou certa apreensão no mercado, mas o fabricante não espera nenhum tipo de atraso no cronograma de certificação, previsto para o final do verão (no hemisfério norte).

A Gulfstream encerrou uma campanha de ensaios de voo que durou três anos e encaminhou toda a documentação referente ao G500 para aprovação do FAA. Porém, o fabricante solicita que o ensaio de combustão da parede de fogo seja validado. A campanha de ensaios exige que os aviões demonstrem que a parede de fogo, instalada entre o motor e outras estruturas da fuselagem, não mostre sinais residuais de combustão após ser exposta ao fogo por 15 minutos. A Gulfstream realizou o teste no G500, contudo, o material empregado no teste carecia do produto vedante exigido acima dos elementos de fixação para os flanges da parede de fogo. O teste realizado nestas condições não obedeceu fielmente às normas do FAA, embora tenha cumprido a exigência de resistência as chamas.

Uma petição enviada pela Gulfstream as autoridades aeronáuticas dos Estados Unidos solicitam a dispensa temporária de um novo teste, visando não atrasar a certificação. Porém, o fabricante afirma que realizará novamente o teste, dentro de novos parâmetros, em até 90 dias após a concessão do certificado de tipo.

O FAA ainda avalia a concessão do certificado, baseado no pedido atual.

Por Ernesto Klotzel

Publicado em 22 de Junho de 2018 às 16:00


Notícias Gulfstream G500 FAA