Volta do MAX

Canadá autoriza retorno operacional do Boeing 737 MAX

Volta ocorrerá após 22 meses de proibição completa dos voos


Após 22 meses o Canadá volta a autorizar voos com o 737 MAX

As autoridades do Canadá aprovaram o retorno das operações regulares com o Boeing 737 MAX, após 22 meses do avião proibido de voar. O retorno é previsto para a próxima quarta-feira (20), quando a restrição perderá sua validade.

Antes da liberação, a Transport Canada, agência responsável pela aviação civil do país, emitiu uma nova diretriz de aeronavegabilidade com mudanças obrigatórias, incluindo um treinamento adicional para os pilotos.

"Nos últimos 20 meses, os especialistas em segurança da aviação civil da Transport Canada, por seu rigor e meticulosidade, garantiram que as preocupações em segurança que o departamento havia identificado fossem abordadas", disse Omar Alghabra Ministro dos transportes do Canadá. "Os canadenses e a indústria aérea podem ter certeza de que a Transport Canada tratou diligentemente de todas as questões securitárias antes de permitir que a aeronave retorne ao serviço no espaço aéreo canadense”.

A WestJet será a primeira companha aérea a reintroduzir o 737 MAX em sua malha, com o voo inaugural previsto para ocorrer na quinta-feira (21), quando fará um voo entre Caligary e Toronto, com três frequências semanais a partir de fevereiro.

A Air Canada por sua vez, anunciou o retorno apenas para o dia 1º de fevereiro, já operadora de baixo custo Sunwing Airlines não se pronunciou sobre seus planos para o reingresso do 737 MAX em sua programação de voos.

O Canadá foi um dos quatro países que coordenaram a recertificação do 737 MAX, ao lado das autoridades de aviação civil dos Estados Unidos, Brasil e União Europeia.

Por Gabriel Benevides

Publicado em 18 de Janeiro de 2021 às 16:45


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação 737 MAX Boeing Air Canada WestJet Sunwing Airlines Canada Transport Canada