Melhor que oposto Ipiranga

Brasil será o primeiro país da América do Sul a ter capacidade de reabastecer em voo helicópteros

Sistema permitirá a força aérea ampliar alcance e autonomia de sua frota de helicópteros H-36


O Brasil deverá se tornar nos próximos dias o primeiro país sul-americano a contar com capacidade de reabastecer em voo helicópteros militares.  A Força Aérea Brasileia está prestes a concluir a primeira fase da campanha de ensaios para certificação do sistema de reabastecimento em voo dos helicópteros H-36 Caracal (Airbus H225M).

O procedimento inédito no Brasil tem como objetivo permitir ampliar as capacidades do uso de helicópteros pela força aérea, com o H-36 podendo alcançar os extremos dos 22 milhões de km² do território brasileiro, para cumprir as missões de resgate no mar, ajudas humanitárias, infiltrações de tropas e transporte de militares em locais estratégicos. “Num cenário de paz, será possível chegar mais longe num menor tempo. Este pode ser o diferencial para salvar mais vidas, num resgate em alto mar”, ressalta o major Aviador Bruno Roque Teixeira, piloto de ensaio e responsável pelo planejamento da campanha de ensaios.

Os ensaios estão sendo conduzidos com um KC-130H, com capacidade de realizar o reabastecimento de outras aeronaves em voo, como os caças F-5E e A-1. A operação possui o objetivo de certificar, tanto em condições diurnas quanto noturnas. Dessa forma, serão conduzidas avaliações específicas de ambas as aeronaves para determinar um envelope seguro que inclui velocidade, altitude e configurações específicas do voo.

Embora seja um procedimento rotineiro em países como os Estados Unidos, por ser inédito no Brasil os militares conduziram uma série de ensaios em solo, como o correto funcionamento do sistema por meio de cheques funcionais e compatibilidade do sistema de visão noturna (NVG, na sigla em inglês) entre as aeronaves por meio de avaliações qualitativas. Os ensaios em voo com conexão a seco, ou seja sem transferência de combustível, tem o objetivo de avaliar a capacidade de reabastecimento por meio das avaliações do grau de turbulência, verificação de possível interferência na leitura do sistema anemométrico por conta da perturbação do ar e verificação do funcionamento dos sistemas mecânicos em voo.

Em agosto deste ano, aproximadamente 10 militares que fazem parte da operação realizaram um intercâmbio na força aérea dos Estados Unidos, para se familiarizarem com os processos. “Foi uma oportunidade de verificar quais os procedimentos são aplicáveis para nossa aeronave e elevar o nível de segurança dos ensaios”, aponta o Tenente Luís Gustavo Leandro de Paula, engenheiro de ensaio em voo do Instituto de Pesquisas e Ensaios em Voo.

Pilotos e engenheiros realizaram, no início de dezembro, voos simulados de reabastecimento em voo no simulador do instituto, como atividade preparatória para os ensaios que acontecem agora. Durante os voos simulados, foi utilizado modelo dinâmico genérico de um helicóptero de categoria pesada em cenário visual similar ao que é encontrado na campanha. Com isso, a atividade atingiu o objetivo proposto de preparar as equipagens de ensaios em voo em termos de cronologia de eventos, divisão de tarefas, fraseologia e métodos a serem aplicados durante os ensaios.

As aeronaves H-36 utilizadas na campanha pertencem aos esquadrões Falcão (1º/8º GAv) e Puma (3º/8º GAv), enquanto o KC-130H é do Esquadrão Gordo (1º/1º GT).

Após o término bem-sucedido da primeira etapa, será realizada, em 2019, a Fase II, na qual serão feitas as verificações finais de certificação. Em cumprimento ao contrato do projeto H-XBR, técnicos da Airbus Helicopters virá ao Brasil para apoiar na conclusão do processo por meio de ensaio em voo com conexão molhada (com transferência de combustível), assim como para realizar treinamento dos pilotos da FAB, que futuramente irão operar o H-36 Caracal.

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 18 de Dezembro de 2018 às 15:59


Notícias FAB Airbus H225M H-36 Carcaral