Péssima hora

Boeing perde contrato bilionário do 787

Aeroflot cancela pedido para 22 aviões da família 787 avaliados em US$ 5,5 bilhões



Pedido da Aeroflot era estimado em US$ 5,5 bilhões, baseado no valor de tabela

A russa Aeroflot cancelou seu pedido para a família 787 Dreamliner, sob a alegação de mudanças no mercado de longo curso a partir da Rússia. A companhia aérea detinha uma encomenda firme para 22 aviões, sendo dezoito 787-8 e quatro 787-9, avaliados em US$ 5,5 bilhões, em preço de tabela.

A desistência da Aeroflot impacta não apenas no caixa da Boeing, que tem sofrido pesadas perdas com a paralização da família 737 MAX, mas também na projeção de produção do 787. Atualmente o modelo soma 1.450 pedidos firmes, com 894 entregas já realizadas e 556 aviões previstos para serem entregues até meados de 2021. A Boeing produz o 787 em sua unidade de Everett, nos arredores de Seattle, e Charleston, na Carolina do Sul, com uma cadencia mensal de 14 aeronaves em cada planta.

LEIA TAMBÉM

A expectativa é que a Boeing obtenha novos contratos para o 787 Dreamliner com operadores atuais dos 777-200 de primeira geração e empresas que voam com a família 767 e A330, que buscam uma renovação com ampliação da capacidade. Todavia, o Dreamliner sofre com a forte concorrência dos Airbus A350 XWB, que embora sejam ligeiramente maiores, permitem manter uma frota padronizada entre os mercados atendidos pelo 787 e o 777-300ER.

ASSINE AERO MAGAZINE COM ATÉ 76% DE DESCONTO

Edmundo Ubiratan | Imagem: Divulgação

Publicado em 9 de Outubro de 2019 às 12:00


Notícias notícia de aviação aeronave avião Boeing 787 737 MAX Dreamliner Airbus A350 767 A330 777 Aeroflot Russia Seattle