Escrutínio

Boeing ainda trabalha para consertar mais de cem 737 MAX

Problema elétrico revelado no início do mês forçou a retirada de serviço de 106 aeronaves


Boeing 737 MAX 7

Boeing emitiu alerta para que dezoito empresas retirem de serviço até 106 unidades do 737 MAX

As autoridades de aviação dos Estados Unidos (FAA, na sigla em inglês) disse que 106 aeronaves da família 737 MAX, da Boeing, estão fora de operação em todo o mundo devido a um problema elétrico que ainda está sendo corrigido pela fabricante. Sendo que setenta e uma delas estão registradas nos Estados Unidos.

O problema é relacionado a falha reportada no dia 7 de abril, quando a Boeing alertou para uma falha no sistema de aterramento elétrico e recomendou que dezoito companhias retirassem os aviões temporariamente de operação.

A FAA afirmou que, a investigação conduzida pela própria Boeing, mostrou que o problema estava relacionado a uma conexão subdimensionada, fora dos parâmetros corretos do projeto. Em caso de pico de tensão a falha pode afetar os painéis de disjuntores e os instrumentos do avião, além da unidade de controle de energia de backup.

A Boeing afirma que o problema é relacionado a uma falha nos processos de produção do avião, com um lote de conexões terra tendo sido entregues e instalados fora dos padrões. Sem relação com falha de projeto ou problema estrutural.

Por Marcel Cardoso

Publicado em 26 de Abril de 2021 às 14:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação Boeing 737 737 MAX FAA