Avanço chinês

China e Rússia prometem avião rival da Airbus e Boeing para 2023

Aeronave de grande porte e alcance intercontinental quer brigar com o A350 e 787


CR929 é produzido pela China e Rússia

China e Rússia esperam entregar o CR929 até meados de 2023

O futuro avião comercial CR929, que pretende competir com os ocidentais Airbus A350 e Boeing 787, deverá iniciar suas entregas já em 2023. Oriundo de um projeto conjunto entre a chinesa Comac e o conglomerado russo UAC (United Aicraft Company), o futuro avião de dois corredores e longo alcance estabeleceu um cronograma audacioso que prevê sua entrada em serviço em 36 meses.

A meta é considerada agressiva tendo em vista que o avião sequer saiu da fase de projeto, não tendo ainda realizado seu primeiro voo. O novo jato conta com aproximadamente 270 pedidos firmes, a maior parte oriundo de empresas aéreas chinesas.

A Comac, principal sócia do consórcio, tem como meta obter um terço de todo o mercado de aviação civil da China, que deverá se tornar o maior do mundo em aproximadamente três anos.

"De acordo com nossa estimativa, a demanda no mercado global de aviões de grande porte de 2023 a 2045 será de cerca de 10.000 aeronaves, dos quais 989 pedidos serão para o CR929”, disse Chen Yingchun, projetista-chefe do CR929 na Comac.

Ainda que muitos não acreditem no potencial da indústria aeroespacial chinesa em sua futura campanha de vendas no mercado internacional, caso a Comac adquira apenas relevância na China já terá mudado a estratégia dos principais fabricantes ocidentais. Além disso, Pequim atualmente tem ampliado sua zona de influência, especialmente financeira, com nações que podem aumentar a vantagem competitiva da indústria local.

Porém, o consórcio afirma que, por ora, o mercado-alvo será na China e Rússia. Ainda assim, o mercado interno russo, ainda que incluindo países satélites sob forte influência de Moscou, não representam um volume de vendas expressivo, mas pode mudar o ingresso de projetos ocidentais em suas empresas aéreas.

Com alcance de 12.00 quilômetros e capacidade para 280 passageiros em três classes, o avião será capaz de operar em 95% das rotas chinesas, inclusive atendendo destinos intercontinentais como Los Angeles ou Vancouver, na América do Norte, e importantes cidades para o fluxo de passageiros com destino e origem na China. Ainda é prevista a criação de uma família, com fuselagem alongada e outras de maior alcance.

Saiba Mais...

Com o projeto lançado em 2016, o CR929 se tornou a aposta da China e Rússia para concorrer no consolidado mercado de aeronaves de dois corredores dominado pela Airbus e Boeing. Com o peso máximo de decolagem de 247,5 toneladas, o CR929 será concorrente direto do Boeing 787 e Airbus A350, o projeto está sendo desenvolvido em parceria entre a estatal russa UAC (United Aircraft Corporation), com liderança da Irkut, que assumiu protagonismo na indústria de aviação civil da Rússia, e a chinesa Comac.

Curiosamente a Comac e a Irkut atuam de forma independente no desenvolvimento de um avião comercial de fuselagem estreita, similar as famílias Airbus A320neo e Boeing 737 MAX, com os russos finalizando o programa de desenvolvimento do MC-21 (MS-21, no alfabeto latino) e os chineses com o C919.

  • Se inscreva no canal da AERO Magazine no YouTube clicando aqui

Por Gabriel Benevides

Publicado em 12 de Dezembro de 2020 às 17:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião Boeing Airbus Comac Irkut UAC CR929 C919 MC21 787 A350 Dreamliner China Rússia