Aviação Comercial

ARJ21-700 é certificado

Após 12 anos modelo finalmente é homologado


As autoridades chinesas certificaram nessa semana o ARJ21-700, o primeiro avião regional a jato produzido na China.

O projeto que foi iniciado em 2003, sofreu uma série de atrasos, sendo que entre o primeiro voo e a certificação passaram-se quase 7 anos. Um dos motivos para a demora foi o fato da CAAC (Civil Aviation Administration of China) estabelecer padrões de homologação similares ao da FAA (Federal Aviation Administration) dos EUA, considerada referência global e praticamente pré-requisito para qualquer aeronave que tenha pretensões de conquistar o mercado global.
Embora a COMAC (Commercial Aircraft Corporation of China) não tenha como meta exportar o ARJ21 para países desenvolvidos, o objetivo foi construir e certificar o avião dentro dos padrões internacionais, visando adquirir experiência para futuros projetos mais ambiciosos, como o C919.

O ARJ21 tem como plataforma básica o McDonnell Douglas MD-80, que foi parcialmente montado na China na década de 1980. O ferramental ainda em poder dos chineses serviu como base para a construção da estrutura principal. Porém, uma série de melhorias de projeto, incluindo novas asas e motores, foram desenvolvidas para o modelo.
Entretanto, em 2003 o ARJ21 já era um avião completamente ultrapassado, tanto em termos tecnológicos como de mercado. Ainda assim, o governo chinês vendeu o programa como um rival para as famílias Bombardier CRJ e Embraer E-Jet.

A previsão é que agora a COMAC realize algumas vendas no mercado interno e para países aliados a Pequim.

Da redação

Publicado em 7 de Janeiro de 2015 às 15:00


Notícias ARJ21-700 COMAC E-Jet CRJ Embraer Bombardier FAA