Efeito coronavírus

Anac divulga malha aérea essencial válida até abril

País terá 1.241 voos semanais para as capitais dos 26 estados, além do Distrito Federal e outras 19 cidades



Redução no número voos é de 91,6% em relação ao mesmo período do ano passado

A Anac divulgou hoje (27) o estabelecimento de regras para manter a malha aérea essencial que será operada durante a pandemia do novo COVID-19. Serão 1.241 voos semanais para as capitais dos 26 estados, além do Distrito Federal e outras 19 cidades estratégicas.

A malha aérea passa a valer a partir de sábado (28) e até o final de abril. A intenção é que durante os próximos trinta dias o país possa continuar minimamente conectado, atendendo as necessidades de deslocamentos de diversos profissionais e cidadãos comuns.

 

LEIA TAMBÉM

Entretanto, a atual malha aérea publicada é 91,6% menor que a operada regularmente pelas empresas nacionais no mesmo período de 2019, quando havia 14.781 frequências semanais. Em relação à quantidade de localidades atendidas, a queda é de 56%: saindo de 106 cidades para apenas 46.  O total de voos por região ficou assim:

  • Sudeste: 723
  • Sul: 155
  • Nordeste: 153
  • Centro-Oeste: 135
  • Norte: 75

“As empresas aéreas estão fazendo um esforço conjunto para manter o país conectado e não deixar nenhum estado brasileiro sem atendimento”, afirmou o presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), Eduardo Sanovicz.

Um dos entraves da operação reduzida é o impacto financeiro no caixa das companhias aéreas, que devem registrar redução recorde na receita e perda dos lucros. Ainda que exista uma quantidade mínima de voos, a maioria deve continuar operando com poucos passageiros, visto que a maioria tem optado por ficar em casa durante o surto do coronavírus.

“As companhias vão continuar queimando dezenas de milhões de reais de caixa, pois mesmo com a redução da malha a ocupação das aeronaves continuará baixa. Por isso, o setor necessita que sejam disponibilizadas linhas de crédito para que as empresas possam suportar os próximos meses”, alertou Sanovicz.

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 27 de Março de 2020 às 14:30


Notícias notícia de aviação aeronave avião Anac Abear Eduardo Sanovicz Latam Gol Azul VoePass covid-19 coronavirus