Ano terrível

Em 2020 os aeroportos de todo o mundo perderam R$ 705,8 bi

Resultado é como se os 95 maiores terminais não tivessem recebido nenhum centavo por um ano


Terminal 3 do aeroporto de Guarulhos - Cumbica, em São Paulo

Terminais vazios e perdas bilionárias marcaram quase a totalidade de 2020

Segundo o Conselho Internacional de Aeroportos (ACI, na sigla em inglês) a pandemia de covid-19 causou a redução de US$ 125 bilhões (R$ 705,8 bilhões) nas receitas dos aeroportos em 2020, ante a expectativa de entradas de US$ 188 bilhões. O resultado provocou uma queda de 66,3% na receita projetada para o último ano.

As perdas representam algo como se os 95 mais movimentados terminais do planeta não tivessem recebido um só centavo em 2020. Ao longo do ano passado pouco mais de 3,3 bilhões de passageiros passaram pelos principais aeroportos do mundo, equivalente ao mesmo tráfego registrado em 2003.

Ainda que o número absoluto pareça elevado, já que representa pouco menos da metade da população global, os aeroportos mundiais perderam mais de 6,1 bilhões de usuários. Mantido o crescimento de 2019, a previsão era que no ano passado tivessem sido movimentados aproximadamente 9,4 bilhões de pessoas, enquanto 2021 deveria registrar 9,8 bilhões.

Para o primeiro trimestre de 2021 a ACI aponta pequenos sinais de melhora, comparado com o trimestre anterior, especialmente com o avanço da imunização que está ocorrendo ao redor do mundo. A esperança de retomada está nas viagens de turismo, com possibilidade de auxiliar encerrar o ano com pouco mais de 5,1 bilhões de passageiros, uma redução de 47,5% em relação ao estimado antes da pandemia.

Apesar do otimismo, os aeroportos ainda terão de encarar mais um ano no vermelho, com a estimativa de perda na ordem de US$ 95 bilhões.

Por Marcel Cardoso

Publicado em 29 de Março de 2021 às 12:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação aeroportos pandemia ACI