Imunizantes

Voo da United Airlines trouxe segundo lote das vacinas da Janssen

Aeronave pousou em Guarulhos com 300 mil doses do imunizante e Azul iniciou distribuicão nacional


Boeing 777 da United Airlines trazendo vacinas da Janssen

Segundo lote da vacina da Janssen chegou no aeroporto de Guarulhos hoje pela manhã

O Boeing 777-200 (N37018) da United Airlines pousou hoje (24) no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, trazendo 300.000 doses da vacina Janssen/Johnson&Johnson. O avião procedente de Newark, em Nova Jersey, trouxe a segunda parte do lote de 1,5 milhão de imunizantes adquiridos pelo governo brasileiro.

Na terça-feira (22) outro voo da United havia transportado a primeira parte do lote, que já está sendo distribuído pelo Brasil. O transporte nacional está sendo, por ora, apoiado pela Azul que vai voar de Guarulhos para para Porto Alegre, Recife, Belo Horizonte, Cuiabá e Curitiba. 

As primeiras 91 mil doses, do primeiro lote, saíram de São Paulo ainda na madrugada de hoje, a bordo de um ATR-72, pousando por volta das 06h10 no aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre. As demais operações aconteceram ao longo desta manhã utilizando os porões de voos comerciais da companhia.

"As cargas de hoje são muito importantes porque garantem a imunização de centenas de brasileiros com dose única. Seguimos em força-tarefa para ajudar e reforçar a campanha de imunização contra a covid, utilizando a expertise de logística da cargo" conta Izabel Reis, Diretora da Azul Cargo Express.

Um dos destaques da vacina da Janssen é a necessidade de uma única dose, ampliando assim a velocidade de imunização da população brasileira.

Além disso, o governo dos Estados Unidos doou outras 3 milhões de doses, que devem chegar ao Brasil amanhã, no aeroporto de Viracopos, em um voo cargueiro dedicado.

  • Receba as notícias de AERO diretamente das nossas redes sociais clicando aqui

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 24 de Junho de 2021 às 12:30


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação United Airlines Boeing 777 Janssen vacina covid-19