Tolerância zero

Tolerância zero para passageiros que não respeitam normas sanitárias

EUA se mostra irredutível quanto a punir quem não utiliza máscaras e não respeita o distanciamento social


Empresas aéreas e autoridades ampliam fiscalização e punição para quem descumpre regras sanitárias nos EUA

Mais de 500 passageiros foram denunciados nos Estados Unidos por desrespeitarem normas de segurança a bordo, principalmente pela falta de uso de máscaras, resultando em multas, banimentos e até em prisões.

As denúncias foram feiras pelas próprias companhias aéreas, que optaram por punir quem desrespeita questões emergenciais de saúde pública. A FAA, a agência de aviação civil dos Estados Unidos, continuará com a política de tolerância zero a quem não seguir à risca as normas a bordo das aeronaves, especialmente as sanitárias.

Quanto ao uso obrigatório de máscaras, a medida estava prevista para expirar no fim de março, mas a FAA prorrogou o prazo até que a legislação sobre o tema seja revogada, o que deverá ocorrer apenas após a confirmação do fim da pandemia. O endurecimento das regras aconteceu após os protestos no Capitólio, a sede do poder legislativo dos Estados Unidos, dias antes da posse do presidente Joe Biden.

Em fevereiro, um passageiro da United Airlines foi multado em cerca de R$ 283 mil por agredir um comissário durante um voo, enquanto se negava a usar os equipamentos obrigatórios em voo.

As companhias aéreas sugeriram a FAA uma multa de cerca de R$ 85 mil para todos que se recusarem usar máscaras a bordo das aeronaves. O surgimento de novas cepas do novo coronavírus e a demora de um programa de imunização global estão encorajando as autoridades ampliarem a punição para quem descumpre regras básicas, ao menos nos Estados Unidos.

Por Marcel Cardoso

Publicado em 17 de Março de 2021 às 16:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação FAA United Airlines pandemia vírus covid-19