Mais concorrência

Passaredo pretende disputar voos em Congonhas

Empresa afirma que apenas deseja o que é seu de direito e questiona mudanças nas regras de distribuição de slots


A Passaredo Linhas aéreas oficializou um requerimento junto ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) para disputar alguns dos slots vagos no Aeroporto de Congonhas.

A empresa já havia demonstrado interesse em operar no principal aeroporto paulistano em maio, quando seus diretores apresentaram para a Anac.

LEIA TAMBÉM

De acordo com José Luiz Felício Filho, Presidente da Passaredo, a autorização da operação em Congonhas representa o ingresso no mais cobiçado aeroporto do Brasil, ligando importantes mercados regionais contemplados pela companhia. A companhia critica o modelo sugerido para redistribuição dos slots, que chegaram a ser cogitados de serem leiloados pela Avianca, algo considerado ilegal, visto que as autorizações de voo fazem parte de uma concessão.

A Passaredo passou por um delicado processo de recuperação judicial, tendo revisto sua malha e frota. Agora espera poder ampliar seu alcance voando para São Paulo a partir de seus principais destinos regionais.

“Mudar a regra para atender empresa 'A' ou 'B' criaria privilégios indevidos e insegurança jurídica. Além disso, a entrada no mais rentável aeroporto do Brasil irá permitir à empresa o fôlego necessário à consolidação de seu processo de recuperação financeira”, disse José Luiz Felício Filho, Presidente da Passaredo. “A operação da Passaredo atenderá plenamente aos anseios de aumento da concorrência, além de permitir que importantes mercados regionais, hoje atendidos de forma marginal, possam acessar o aeroporto central”.

Ainda que a disputa pelos slots de Congonhas seja bastante acirrada e historicamente envolve uma série de embates, incluindo políticos, a Passaredo mantém firme a sua disposição de disputar as autorizações no aeroporto. “Queremos apenas o que é nosso por direito”, diz Felício Filho.

A empresa opera uma frota de aeronaves ATR72-500, atendendo 14 destinos no Brasil e após sua filiação na Abear, a associação das empresas aéreas, a companhia está se preparando para as adequações necessárias ao incremento da frota e abertura de base operacional. A empresa ainda obteve a certificação IOSA (IATA Operational Safety Audit), que representa um certificado internacional de padronização e qualidade de procedimentos conferido pela IATA. A Passaredo transportou em 2018 mais de 560 mil passageiros.

ASSINE AERO MAGAZINE COM DESCONTO

Por Edmundo Ubiratan | Fotos: Divulgação

Publicado em 14 de Junho de 2019 às 12:00


Notícias Passaredo ATR Congonhas IATA Anac CADE Gol Latam Tam Azul