Pane seca em Regente Feijó

Greve de caminhoneiros provoca cancelamento da maior feira de aviação leve do país

Falta de combustível em aeroportos e crise de abastecimento nas cidades obrigam organização a suspender evento no interior de São Paulo, que reuniria pelo menos 300 aeronaves


A crise gerada pela greve dos caminhoneiros levou ao desabastecimento dos principais aeroportos do país, além de reflexos em diversos setores, de postos de gasolina a supermercados. Um dos mais recentes impactos ocorre com o principal encontro da aviação leve do Brasil.

O Aviashow, que ocorre anualmente na cidade de Regente Feijó, no interior paulista, foi cancelada em virtude da greve dos caminhoneiros. O encontro aconteceria neste fim de semana, de 1 a 3 de junho. 

Em nota, a organização afirma que a motivação se deve à falta de combustível, que levou ao cancelamento da apresentação da Esquadrilha da Fumaça. Além disso, os hotéis da região de Presidente Prudente também iniciaram o cancelamento de reservas, pela ausência de condições em receber seus hóspedes.

Passada mais de década e meia desde sua primeira edição, em 2001, a Feira de Aviação Desportiva cresceu e se consolidou, adquirindo prestígio ano a ano ao prover a confraternização da comunidade aeronáutica, sobretudo entusiastas da aviação geral.

Todos os anos, aproximadamente 300 aeronaves pousam no aeródromo José Martins da Silva, em Regente Feijó, para participar do encontro, organizado pelo Aeropark Clube de Voo Desportivo. A pista de grama limita a chegada de aeronaves maiores, o que acaba por determinar o perfil dos participantes da feira. São em sua imensa maioria operadores privados, especialmente pilotos-proprietários de modelos leves e esportivos (LSA) e monomotores a pistão certificados.

O encontro não possui nova data para acontecer, dependendo da normalização da crise.

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 30 de Maio de 2018 às 16:37


Notícias Aviashow Esquadrilha da Fumaça