Baleia voadora

Maior cargueiro especial do mundo realiza primeiro voo na França

Novo Beluga XL será utilizado no transporte de componentes de aviões da Airbus



Atuais Beluga, derivados do A300-600 realizam o transporte dos principais componentes dos aviões da Airbus. Boeing conta com o 747 Dreamlifter para operações similares (abaixo).

A Airbus realizou o primeiro voo com o novo Beluga XL, a versão cargueira especial do fabricante europeu baseada no A330-200. O avião construído com o propósito de transportar componentes dos aviões da própria Airbus em sua complexa cadeia de produção realizou um voo de quatro horas e onze minutos.

A aeronave se destaca por sua enorme área de carga, com mais de 2.200 m³, que conta com comprimento útil total de 45 m e diâmetro de 8 m. Como comparação a fuselagem do A380, o maior avião comercial do mundo, possui uma fuselagem com 7,15 m de diâmetro. Com isso, o modelo se torna o maior cargueiro especial da atualidade, superando até mesmo o Dreamlifter, da Boeing e baseado no 747-400. A capacidade de transporte é de até 53 toneladas (ligeiramente inferior ao rival norte-americano, que pode transportar até 60 toneladas), com alcance máximo de 2.200 nm, com peso máximo de decolagem, o suficiente para atender os voos entre as unidades de produção da Airbus na Europa, situados na Alemanha, Espanha, França e Reino Unido.

A aeronave substituirá progressivamente os A300-600ST Super Transporter, conhecidos como Beluga ST, a partir de 2019, que hoje são utilizados no transporte de componentes de todos os aviões da Airbus.

Para construir o novo avião os engenheiros utilizaram a estrutura básica do A330 cargueiro, modificando amplamente sua fuselagem, estabilizadores, asas e motores. Além disso, para permitir a maior área possível no compartimento de carga, a cabine foi reprojetada em relação ao A330 original, ficando situada abaixo do piso principal.

Por sua semelhança com a baleia branca homônima, os funcionários da Airbus em votação escolheram pintar os olhos e a enorme boca na fuselagem, dando ainda mais sentido ao nome do avião.

A expectativa é que o avião seja certificado nos próximos meses e que cinco sejam construídos, permitindo a Airbus aposentar os atuais A30-600ST, que possuem mais de 20 anos de serviço, ao mesmo tempo que amplia sua capacidade logística. Por sua maior área interna o Beluga XL pode transportar as duas asas completas do A350 XWB, assim como sua fuselagem sem restrições.

Desenho esquemático mostra transporte da fuselagem do A350 XWB a bordo do novo Beluga XL.

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 20 de Julho de 2018 às 11:00


Notícias Airbus A330 A350 A380 Beluga Beluga XL Boeing 747 Dreamlifter