Continuam as confusões

As leis de Trump

Companhias aéreas sentem-se menos seguras diante da rigidez com a imigração


Mesmo aqueles que residem legalmente nos Estados Unidos, estão evitando viagens internacionais pois ainda existem dúvidas com relação a quem pode e quem não pode reentar no país. Existem milhares de pessoas que estão “congeladas” nos EUA, criando o caos em suas empresas e nas companhias aéreas que poderiam transportá-las gerando receitas importantes. 

Com relação aos funcionários das companhias aéreas, embora raramente empreguem cidadãos dos sete países "proscritos": Iémen, Irã, Iraque, Líbia, Síria, Somália e Sudão, o impacto poderia ser considerável para empresas como Emirates, Etihad e Qatar, que têm uma respeitável base de clientes de origem árabe e que costumam voar a diversos destinos norte-americanos. 

A pressa com a implementação das novas leis de imigração até parece proposital para criar o caos na indústria da aviação comercial. Ela não é nem um pouco parecida às mudanças anteriores na política de imigração que dava ampla margem de tempo para alertar os passageiros que pretendiam viajar aos Estados Unidos.

Ernesto Klotzel

Publicado em 1 de Fevereiro de 2017 às 16:26


Notícias Trump Emirates Qatar Etihad Iémen Irã Iraque Líbia Síria Somália Sudão