Problemas do 737 MAX

Ex-piloto de testes da Boeing é indiciado por fraude nos EUA

Caso condenado o aviador poderá passar mais de dez anos na prisão


Boeing 737 MAX 10

Dois acidentes com o mais novo modelo da Boeing mataram 346 pessoas entre 2018 e 2019 - Foto: Divulgação

Um ex-piloto que era chefe técnico da Boeing foi indiciado por fraude, segundo o Departamento de Justiça dos Estados Unidos. Ele é acusado de enganar reguladores locais que avaliavam o 737 MAX. Mark Forkner responderá por seis acusações no Estado do Texas, principalmente por ludibriar companhias aéreas norte-americanas para conseguir milhões de dólares para a fabricante.

Em 2017, Forkner forneceu à Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA) informações com diversos erros envolvendo o sistema de aumento de características de manobra (Mcas), que coloca automaticamente o nariz do avião para baixo em certas condições, fazendo que isto tivesse ligação com os dois acidentes fatais envolvendo a Lion Air e a Ethiopian Airlines em um intervalo de cinco meses, matando quase 350 pessoas.

Segundo o Procurador interino do Texas, Chad Meacham, o ex-piloto teria ignorado informações críticas dos reguladores, com o intuito de economizar dinheiro da Boeing.

Se condenado, ele pode pegar mais de dez anos de prisão.

  • Receba as notícias de AERO diretamente das nossas redes sociais clicando aqui

 

Marcel Cardoso

Publicado em 15 de Outubro de 2021 às 09:30


Notícias noticias noticias de aviação Boeing Piloto Técnico Indiciamento Fraude Estados Unidos Texas