Engenharia em alta


A nova linha de montagem da Helibras, em Itajubá, no interior de Minas Gerais, inaugurada oficialmente em outubro último para a fabricar o helicóptero EC725 e sua versão civil EC225, mostra uma vertente promissora do Brasil, a vocação na área de engenharia aeronáutica. Durante a cerimônia, o presidente mundial da Eurocopter, Lutz Bertling, fez questão de ressaltar os avanços tecnológicos da subsidiária brasileira e citou o certificado Design Authorized Organization Certificate, obtido pelo centro de engenharia da Helibras, que elevou o país ao posto de quarto pilar de inovação do grupo europeu, juntamente com a França, a Alemanha e a Espanha.

Desde Santos Dumont, o país mostra ao mundo sua capacidade de criar máquinas voadoras. Hoje, a Helibras trilha o caminho da inovação e está habilitada para projetar, desenvolver e construir o primeiro helicóptero 100% nacional, que deve se tornar realidade nesta próxima década. Mas o desafio da mão de obra qualificada continua. O momento é oportuno para o investimento em formação de gente apta a inventar soluções que serão aplicadas nas aeronaves do futuro.

Mais um exemplo do talento brasileiro na indústria aeronáutica é o Super Petrel LS, que ensaiamos este mês. Trata-se de uma versão totalmente reformulada do avião anfíbio produzido pela Edra Aeronáutica desde os anos 1980. O experimental passou por um profundo processo de refinamento de projeto, com mudanças que vão do conjunto de cauda, passando pela carenagem, até um exaustivo programa de limpeza aerodinâmica. Definitivamente, a categoria ALE (Aeronaves Leves e Esportivas) cria perspectivas promissoras para a indústria de aviões leves no país, mas o investimento em tecnologia tem de vir a reboque das mudanças na legislação.

Sem sair do tema inovação, apresentamos também nesta edição as origens de um avião comercial emblemático para o transporte aéreo mundial, o A300, cujo primeiro voo acaba de completar 40 anos. O modelo viabilizou a criação da Airbus e foi o primeiro jato de passageiros bimotor widebody do mundo.

Ainda neste exemplar, as novidades da NBAA, como os Gulfstream G650 e G280 e o Falcon 2000 LXS, e uma radiografia do novo avião da LAN, o Boeing 787 Dreamliner, que voamos no Chile.

Bom voo,
Giuliano Agmont e Christian Burgos

Da redação

Publicado em 21 de Novembro de 2012 às 14:04


Editorial

Artigo publicado nesta revista