Apetite chinês

Empresa de manutenção chinesa planeja conquistar mercado global

Maior inimigo é a guerra comercial entre os EUA e China que pode aumentar os custos


Chinesa Ameco pretende ampliar seu acesso global e enfrenta problemas na política internacional

A gigante chinesa de manutenção Ameco poderá rever seus planos de crescimento global por conta da guerra comercial entre os Estados Unidos e China. A empresa que é uma das maiores do mundo em MRO acredita que os próximos anos devem apresentar uma série de desafios ao setor.

LEIA TAMBÉM

De acordo com a FlightGlobal, o presidente da Ameco, Zhu Xiao, afirmou que espera atrair novos clientes, em especial empresas norte-americanas. Todavia, o temor é que a guerra comercial entre Washington e Pequim possa inviabilizar parte dos acordos. A empresa ainda assim acredita no potencial gerado pelos problemas no 737 MAX, que podem demandar uma crescente demanda por serviços nos próximos meses, da mesma forma que os problemas com os motores Rolls-Royce Trent 1000.

A Ameco foi formada através de uma joint venture entre a Air China e a Lufthansa, em 1989. Em 2015, a então Ameco Beijing se fundiu com o braço de MRO da Air China, resultando em uma mudança na participação acionária e recentemente, ele abandonou o “Beijing” (Pequim) em seu nome, tentando desvincular sua imagem a China.

ASSINE AERO MAGAZINE COM ATÉ 76% DE DESCONTO

Por Edmundo Ubiratan | Fotos: Divulgação

Publicado em 25 de Setembro de 2019 às 12:00


Notícias notícia aviação avião China Ameco Lufthansa AirChina Boeing 737 MAX MRO manutenção de avião hangar Pequim