F/A-18 Super Hornet

Canadá compra F-18 novos após cancelar os F-35

Ottawa quer mais tempo até tomar a decisão definitiva, que poderá não ser o F-35


O governo do Canadá anunciou seus planos de aquisição de caças multifunção Boeing F/A-18E/F Super Hornet, mostrando a estratégia para equipar sua futura força aérea: a de garantir um “número modesto” de jatos até que Ottawa decida qual a aeronave que deverá substituir os tradicionais caças Hornet – mas que não serão os Lockheed Martin F-35 Lightning II.

Durante os anos 1980, o Canadá adquiriu 138 CF-18 Hornet (designação canadense para os Boeing F/A-18A Hornet) para missões de combate na Guerra do Golfo, operações da OTAN na antiga Iugoslávia, Líbia e, em data mais recente, sobre o Iraque, combatendo o Estado Islâmico. A despeito das modificações e atualizações em armamentos modernos, os Hornet começaram a ficar antiquados.

A administração anterior do Canadá se preparou para receber os F-35 Lightning II mas o novo Primeiro Ministro Justin Trudeau, em sua campanha eleitoral prometeu cancelar a compra tendo como justificativa que não houve uma concorrência real e que a compra de um caça tão caro não era necessária.

Honrando sua promessa, Trudeau cancelou a compra dos F-35 e anunciou uma nova concorrência aberta para uma substituição de aeronaves em caráter permanente. O novo plano para o Canadá é a aquisição de 18 F/A-18E/F Super Hornet como uma “medida-tampão" até a decisão com relação a escolha definitiva de um futuro caça.

O Super-Hornet é um substituto prático do CF-18 Hornet, pois é maior, tem alcance maior e carrega mais armamento que o CF-18. Embora não seja tão stealth como o F-35, o Super Hornet também é difícil de detectar no radar, mantendo um elevado grau de comunalidade com os antigos Hornet. O caça “interino” pode ainda ser o novo Super Hornet avançado que a Boeing deseja vender à Índia.

 A aquisição “tampão” só constitui uma medida discreta pois o Canadá necessita, pelo menos, cerca de 100 novos caças o mais depressa possível. O Super Hornet parece ter a vantagem, mas não se deve descartar ainda o Lockheed Martin F-35 LIghtning II. À medida que o jato passa por um processo de amadurecimento (para tornar-se a aeronave prometida pelo fabricante) os custos unitários estão caindo, ao ponto de se tornar um sério concorrente do Super Hornet.

Redação

Publicado em 23 de Novembro de 2016 às 19:08


Notícias Boeing F/A-18 Super Hornet Lockheed Martin F-35.Lightning II