Indústria

Boeing reduzirá a produção do 747-8

Previsão é que a partir de março a cadência passará para 1,3 aeronaves por mês


A Boeing confirmou que a partir de março de 2016 vai reduzir a produção do 787-8, passando para 1.3 aeronaves por mês. O fabricante está ajustando a capacidade de produção devido a demanda ainda considerada baixa para o mais novo membro da família 747.

O modelo encontrou um mercado favorável no transporte de cargas, mas ainda assim longe do ideal para justificar o ritmo atual de produção. A expectativa de analistas é que nos próximos dois anos a frota de 747-400F comece a ser substituída por aeronaves mais modernas e com capacidade ligeiramente superior.

Alguns dos mais antigos 747F foram substituídos pelo 777F, a versão cargueira do Boeing 777-200LR, que oferece uma capacidade ligeiramente inferior, mas com custos melhores. A tendência é que alguns mercados vão exigir aeronaves mais modernas e com maior capacidade de carga.

O futuro do 747-8F ainda é incerto, mas a Boeing aposta na continuidade das vendas, muitas delas atreladas a aposentadoria de modelos mais antigos.

 

Da redação

Publicado em 29 de Junho de 2015 às 16:00


Notícias Boeing 747 747-8 747-400