Final pós-apocalíptico

Avião da Varig vira palco no Burning Man 2018, o festival de contracultura nos Estados Unidos

Antigo 747-300 é desmontado e levado para o deserto, em Nevada


Avião iniciou sua carreira no Brasil, pela Varig, mas terminou seus dias em meio ao deserto, após ser palco de um festival de contracultura. Hoje quem sobrevoa o Black Rock Desert, nos Estados Unidos, pode avistar em meio a imensidão árida a silhueta de um Boeing 747. O avião agora parcialmente desmontado se tornou um problema jurídico e ambiental para as autoridades de Nevada.

O avião foi o principal palco do festival Burning Man, que reuniu mais de 80.000 pessoas no deserto entre os dias 26 de agosto e 4 de setembro. O evento iniciou a construção do palco 747 em meados de 2014, através de um fundo de doações, onde o modelo foi transportado em etapas para o festival. A edição 2018 contou com o projeto completo, idealizado e montado por uma equipe de arquitetos e de organizadores, que utilizaram a seção principal de um Boeing 747-300 completamente modificada.

Durante o festival, que lembra o cenário do filme Mad Max, o avião serviu como palco e lounge VIP, sendo iluminado por leds e canhões de luz, numa mistura psicodélica pós-apocalíptica.

Cidadania Brasileira

Boeing 747 utilizado no festival (direita) ainda na fábrica da Boeing, em 1985, com a matrícula PP-VNH.

A história do 747 remete ao Brasil. O avião escolhido pelos organizadores, através do Big Imagination Foundation, foi o primeiro Boeing 747-300 utilizado pela Varig.

O avião, número de série 23394, foi encomendado pela empresa brasileira sendo construído de acordo com suas especificações pela Boeing. O avião voou pela primeira vez 22 de novembro de 1985, sendo entregue a Varig, em 10 de dezembro do mesmo ano, onde recebeu a matrícula PP-VNH.

O avião voou de Seattle, então sede da Boeing, para Nova York, onde recebeu os passageiros com destino ao Rio de Janeiro, iniciando a era do 747-300 na Varig. Sedo o mais moderno avião da época, o modelo permitiu a empresa brasileira a manter seu prestigio internacional, ao mesmo tempo que ampliava sua frota de 747.

O PP-VNH foi o primeiro avião da Varig a ostentar as novas cores da empresa

Em 1996, quando a Varig realizou a mudança da pintura, foi justamente o PP-VNH  o primeiro a ostentar as novas cores em azul e branco, com a rosa dos ventos pintada em dourado. Com o agravamento da crise na Varig uma profunda reestruturação foi realizada na frota e em 1999 todos os Boeing 747 foram retirados de serviço.

Após ser convertido como cargueiro puro, em agosto de 2000, o PP-VNH foi entregue para a cargueira norte-americana Atlas Air, sendo rematriculado como N354MC onde voou até 2004, embora tenha operado sob regime de leasing pela Polar Air Cargo por dois anos. No ano seguinte foi vendido para a cargueira Focus Air, até sua última mudança de operador em 2008, quando foi negociado com a Southern Air. Seu último voo ocorreu em 2011.

Até ser vendido para o Big Imagination Foundation, o avião esteve parado no deserto de Mojave. A organização iniciou um ambicioso projeto para converter o antigo Jumbo em um palco de shows. Através de financiamento coletivo, conforme os objetivos de doações foram sendo atingidos partes do avião foram sendo utilizadas no Burning Man. A conclusão do projeto ocorreu esse ano, quando o palco completo foi montado no Black Rock Desert.

Mudanças profundas foram realizadas na estrutura, adaptando para uso no festival. Todavia, os organizadores não sabem como transportar o palco para um novo local. Um dos argumentos é que após remontado o avião exige uma logística que está sendo estudada.

As autoridades federais, responsáveis pela preservação de parques nos Estados Unidos, agora trabalham em um plano para remover de forma definitiva o avião do deserto. Uma das possibilidades será o desmanche em definitivo do 747, enquanto os organizadores do evento tentam ganhar algum tempo para manter o palco intacto.

Um final inusitado para o primeiro Jumbo 300 do Brasil.

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 19 de Setembro de 2018 às 00:00


Notícias Varig Boeing 747