Max Renovação

Alaska Airlines recebe o seu primeiro 737-9 MAX

Chegada do novo avião permitirá a empresa iniciar completo plano de renovação da frota


Primeiro 737 MAX 9 da Alaska Airlines

Alaska Airlines deverá renovar sua frota de A320 com os novos 737 MAX

A Alaska Airlines recebeu seu primeiro Boeing 737-9 MAX, marcando uma nova fase de modernização da frota prevista para ocorrer ao longo dos próximos anos. A chegada do avião atrasou quase dois anos, após a proibição de voos com a família 737 MAX.

Após o recebimento, a aeronave seguiu do Centro de Entregas da Boeing Field, nos arredores de Seattle, até o hangar da Alaska Airlines, localizado no aeroporto internacional Sea-Tac, com um pequeno grupo de executivos a bordo.

"Esperamos ansiosamente por este dia. Foi um momento de orgulho para embarcar em nosso mais novo 737 e voar para casa", disse o presidente da Alaska Airlines, Ben Minicucci.

Com a adição do novo avião, a Alaska Airlines fará a estreia operacional com o 737 MAX apenas em 1º de março, enquanto nas próximas semanas a equipe técnica passará por um treinamento especifico para o modelo. “Nossos funcionários passarão as próximas cinco semanas em treinamento para garantir que estamos prontos para voar com segurança”, destacou Minicucci.

A companhia aérea realizará um treinamento de 40 horas para a familiarização dos funcionários com a aeronave, para poder distinguir as variações entre a família MAX e os modelos anteriores 737 Next Generation.

Além disso, a Alaska Airlines realizará uma série de voos para confirmar as novas validações securitárias emitidos pela FAA, com o treinamento incluindo inicialmente mais de 50 horas de voo e cerca de 19.000 milhas em todo território dos Estados Unidos, incluindo a rota que liga as cidades do Alasca ao Havaí.

O 737-9 estará programado para realizar seus primeiros voos diários nas rotas entre Seattle e San Diego, e Seattle e Los Angeles, ao longo do mês de março.

Com a expectativa da chegada da segunda aeronave 737 MAX para março, os voos de entregas pela Boeing serão feitos com combustível de aviação sustentável (SAF), medida adotada para ajudar a indústria da aviação a reduzir emissões de CO₂.

A companhia aérea anunciou um acordo de pedido estruturado em dezembro de 2020 prevendo receber um total de 68 novos 737-9 MAX nos próximos quatro anos, com a opção de 52 aviões adicionais. 

Ao longo de 2021 deverão ser entregues treze aviões, seguidos de trinta em 2022, treze em 2023 e doze em 2024. Essas 65 aeronaves substituirão em grande parte a frota de modelos da Airbus hoje em serviço na Alaska Airlines.

Por Gabriel Benevides

Publicado em 26 de Janeiro de 2021 às 11:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação 737 MAX Boeing Alaska Airlines 737-9 FAA