Oscilação perigosa

Motores do A220 apresentam problemas relacionados à ressonância

Diretiva da FAA indica que problemas estão relacionados ao software do motor


Diversos operadores do Airbus A220 deverão atualizar o softwar de controle de motor PW1500G. A normal partiu de uma diretiva da FAA, a agência de aviação civil dos Estados Unidos, após uma série de falhas no motor que ocasionaram fraturas nos compressores de baixa pressão.

Segundo a FAA, em 2019 foram registrados quatro incidentes do tipo, sendo três com aeronaves da Swiss e um a Air Baltic. Uma análise preliminar mostrou que a programação do software responsável pelo controle eletrônico do motor faz com que a palheta do compressor de baixa compressão gere uma ressonância acústica, que por consequência, gera danos consideráveis no estágio um do compressor.

LEIA TAMBÉM

Ao longo do ano passado diversas ações preventivas já haviam sido emitidas aos operadores do A220, uma delas incluía limitar a potência quando o avião estivesse em grandes altitudes, evitando falhas não contidas no motor. 

A última diretiva emitida previa que os operadores desinstalassem determinados softwares do FADEC que fossem anteriores a versão V2.11.9.2, com imediata atualização para a versão mais recente do programa. A FAA sugere que os motores que tenham menos de 300 ciclos acumulados façam as devidas modificações nos próximos 15 ciclos e os demais motores deverão fazer a atualização nos próximos 90 dias.

A FAA afirma que as falhas relacionadas ao estágio um foram detectadas antes dos 300 ciclos após a instalação pelos operadores e alerta que os motores instalados recentemente carregam um maior risco para falhas no rotor.

Por Gabriel Benevides

Publicado em 1 de Abril de 2020 às 12:00


Notícias notícia de aviação aeronave avião Airbus A220 CSeries motor Pratt & Whitney PW1500G