Falta entrega ao problema

Entregas do Boeing 787 podem ficar interrompidas até o fim de outubro

Autoridades dos Estados Unidos rejeitaram inspeção até que impasse seja resolvido


Boeing 787

O 787 é um dos dois modelos da Boeing tem registrado problemas de fabricação desde o fim de 2020

Por conta da rejeição de um pedido de inspeção do modelo pela Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA), as entregas de novos 787 Dreamliners poderão permanecer paralisadas até pelo menos o fim de outubro.

Segundo o norte-americano The Wall Street Journal, o imbróglio começou em julho, quando o órgão apontou que algumas destas aeronaves apresentavam alguns problemas no nariz e que precisava ser corrigido antes que as companhias aéreas as recebessem.

Segundo a publicação, os dois lados se reuniram no início de agosto, mas a FAA permaneceu taxativa quanto à necessidade da Boeing resolver o impasse interno sobre a segurança do modelo. Um assessor disse que a empresa estava comprometida em fornecer total transparência com os reguladores, de modo que a situação possa ser normalizada logo.

Tanto o 787 quanto o 737 MAX têm sido afetados por anomalias no sistema elétrico, além de outros percalços desde o final de 2020. O modelo de fuselagem larga (widebody) havia retomado as entregas em março, depois de um hiato de cinco meses.

  • Receba as notícias de AERO diretamente das nossas redes sociais clicando aqui

Marcel Cardoso

Publicado em 6 de Setembro de 2021 às 05:55


Notícias noticias noticias de aviação Boeing 787 FAA Estados Unidos Entregas