Regras ambientais

Embraer E190-E2 é certificado para operar em aeroporto de Londres

Restrições ambientais em London City exige aproximação com elevado ângulo de descida


Embraer E190-E2 durante aproximação para o aeroporto London City

Aproximação em London City ocorre com ângulo de 5,5 graus, valor acima da média dos demais aeroportos europeus

A Agência Europeia para a Segurança da Aviação (Easa, na sigla em inglês) certificou as operações do E190-E2, da Embraer, no aeroporto London City (LCY), em Londres.

O aeroporto central exige uma aproximação íngreme, visto as restrições operacionais, especialmente com relação a emissão de ruído. O E190, de primeira geração, já era certificado para a operação londrina.

A autorização foi concedida no dia 11 de maio, mas foi divulgada oficialmente nesta quinta-feira (3). O aeroporto London City está situado no centro financeiro da capital britânica, sendo o principal terminal da região. Sua localização estratégica também é um facilitador para conectar Londres a destinos na Europa Continental e alguns destinos internacionais nas Américas. Além dos voos comerciais, London City é um importante aeroporto para a aviação de negócios, com dezenas de operações de jatos privados.

Para operar em London City, as aeronaves precisam atender os requisitos de aproximação íngreme, além de atender as restrições de pista curta do aeroporto, assim como às rígidas regulamentações de ruído britânicas.

Este regulamento é semelhante ao adotado no aeroporto Santos Dumont (SDU), no Rio de Janeiro, que possui configurações semelhantes, mas com uma pista 200 metros menor. O E2 ainda não possui autorização para operar no terminal carioca, mas deverá ser certificado caso haja interesse de eventuais empresas operadoras do modelo.

A certificação, que permite maiores ângulos de descida com até 5,5 graus, reduzindo assim a poluição sonora no entorno. O sistema utilizado pelo avião habilitado através de uma atualização de software especial e a instalação de um botão 'Steep Approach' no painel de controle do cockpit. Devido à similaridade de cabine entre o E190 e o E190-E2, os pilotos já liberados para a operação no modelo anterior não precisam de treinamento em simulador para aproximação íngreme.

A KLM é a maior aérea da Europa com pedidos do E2 com 25 unidades, com opção de compra para mais dez. Quatro aeronaves já foram entregues e já estão em operação comercial.

Embraer E190-E2 durante decolagem em London City

Embraer E190-E2 durante decolagem em London City

Por Marcel Cardoso

Publicado em 3 de Junho de 2021 às 14:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação Embraer E2 E190 E190-E2 EASA Londo City certificação