Altitude elevada e baixa velocidade

CEO da Dassault pede que Safran explique a jornalistas novo atraso do Falcon 5X

Executivo gerou clima pesado na coletiva de imprensa da NBAA ao colocar o parceiro em saia justa depois de anunciar a prorrogação por tempo indeterminado da data de lançamento do jato


Especial NBAA by 


O programa 5X vai sofrer novo atraso e o clima entre os parceiros do programa esquentou. Na coletiva de imprensa, o CEO da Dassault Falcon Jet, Eric Trappier, foi claro e direto: "O lançamento do novo jato 5X vai atrasar novamente por causa da Safran, que nos informou pouco antes da feira aqui de Las Vegas que continua enfrentando problemas no desenvolvimento do motor do jato". Pelo cronograma inicial, o Falcon 5X deveria começar a ser entregue justamente neste ano de 2017. Com os primeiros atrasos, a data foi reprogramada para 2020. Segundo o CEO da Dassault, ainda não há nova previsão para a entrada em serviço do novo jato. "É muito cedo para avaliarmos o impacto desse novo atraso". 

Respondendo se a Dassault considera a possibilidade de trocar de motor, o executivo foi taxativo. Disse que estão tentando resolver o problema da melhor forma possível, mas deixando todas as oportunidades em aberto, inclusive substituir o Silvercrest da Safran. "O problema é sério", enfatizou. 
 
Não bastasse o puxão de orelha público, Trappier convocou Cedric Goubet, vice-presidente de Motores Comerciais da Safran, que acompanhava a coletiva, a dar explicações. Visivelmente desconfortável, o representante da Safran informou que, durante os testes de voo e de solo em San Antonio, o motor não atingiu os resultados esperado e citou especificamente a capacidade de resposta do compressor de alta pressão em certas condições. "É um problema com a eficiência do compressor em condições operacionais, como altitudes elevadas ou baixa velocidade, não entregando aceleração adequada". 

A saia justa praticamente pôs fim à coletiva. O futuro do motor Silvercrest é incerto. Ele  também foi selecionado pela Textron Aviation para equipar o Hemisphere, programado para fazer seu primeiro voo em 2019. Enquanto isso, a Dassault continua a realizar os testes em voo do Falcon 5X com uma versão provisória do Silvercrest. Desde julho, o protótipo do 5X já acumula cerca de 50 horas de voo, tendo atingido velocidade máxima de Mach 0.8 e uma altitude de 41.000 pés. 
Da redação

Publicado em 10 de Outubro de 2017 às 08:37


Notícias