Precisão nos lançamentos

Caça dos EUA lança bomba com capacidade nuclear durante teste

Armas usadas pelo F-15E podem carregar ogivas atômicas para ações táticas


F-15E Strike Eagle equipado com uma bomba B61, em destaque na cor laranja | Foto: Santos Torres

Um caça F-15E Strike Eagle voou com bombas de precisão B61-3 e B-61-4, que podem levar até mesmo uma ogiva nuclear tática, para avaliar o desempenho do avião em missão real.

A Usaf, a força aérea dos Estados Unidos, está ampliando o uso de mísseis e bombas com capacidade de ataque nuclear tático, ou seja, que permite atacar com máxima destruição alvos importantes como bases aéreas ou frotas navais completas.

Durante os ensaios com o F-15E as bombas, que não continham ogiva nuclear, foram lançadas na área de testes Tonopah Test Range, no estado de Nevada. O teste serviu para avaliar desde o comportamento dinâmico do avião, até a precisão das novas armas.

“Uma missão de avaliação nuclear testa e avalia manutenção, tripulação e aviadores de armas para garantir a capacidade atômica do estoque até a entrega”, disse Douglas Kabel, tenente-coronel e vice-diretor do departamento de integração de bombas da Usaf.

O teste demonstrou que mesmo o F-15E sendo um caça de geração 4,5 ainda é possível integrar com sucesso novas armas e  funções de ataque, complementando as missões planejadas para aeronaves de quinta geração, como o F-22 Raptor e o F-35A Lightning II

“Ele [F-15E] melhora a nossa prontidão, dando aos nossos combatentes a experiência de que eles precisariam para empregar as armas das séries B61 em um conflito futuro dentro de um ambiente contestado”, destacou Kabel.

Os Estados Unidos também estão conduzido testes semelhantes com a bomba B61-12 integrada ao moderno F-35A, que vem ampliando sua capacidade bélica nos últimos anos.

  • Receba as notícias de AERO diretamente das nossas redes sociais clicando aqui

Por André Magalhães

Publicado em 24 de Novembro de 2021 às 13:20


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação EUA Usaf F-15E bomba teste F-35 Lockheed Martin Boeing arma nuclear atômico