Binacional

Avião projetado por chineses e russo deverá iniciar produção

O futuro CR929 pretende rivalizar com os jatos ocidentais A330neo, A350 e 787


Futuro jato comercial sino-russo pretende atender especialmente a necessidade das empresas aéreas chinesas

O futuro avião comercial e grande porte sino-russo, o CR929, desenvolvido entre a chinesa Comac e a UAC da Rússia, está próximo de iniciar a produção do primeiro protótipo. O modelo pretende concorrer diretamente com os A330neo e A350 da Airbus, assim como o 787 Dreamliner, da Boeing.

O anuncio foi realizado pelo engenheiro-chefe da pré-pesquisa da COMAC, Yang Zhigang, que afirmou que já foram definidos os principais fornecedores para os sistemas da aeronave, mas ainda falta definir as empresas que serão responsáveis pelos sistemas secundários.

Caso a produção se concretize em 2021, o projeto conjunto entre a chinesa Comac e o conglomerado russo UAC (United Aicraft Company) poderá definir o cronograma para iniciar os ensaios de voo, seguido da certificação e entrega do primeiro avião.

Mesmo caso as equipes do CR929 definam ainda no primeiro semestre seus principais fornecedores, existem poucas chances de os fabricantes cumprirem a promessa de entrega do modelo partir de 2023.

Um dos fatos notáveis do anúncio é a sinalização de um acordo entre as partes russas e chinesas, visto a existência de divergências entre os fabricantes durante o desenvolvimento do CR929.

Originalmente os russos ambicionavam aproveitar o desenvolvimento da aeronave para atender a demanda mundial, capaz de competir com seus pares ocidentais, o que seria possível através de uma parceria internacional de forma a diluir custos e riscos. A China, por sua vez, pretende conquistar o acesso às tecnologias de ponta não dominadas por sua indústria aeronáutica, assim como preservar seu mercado interno, inclusive cogitando que as aeronaves destinadas às empresas locais deverão ser integralmente produzidas no país.

A visão divergente entre as ambições do projeto poderá levar até mesmo a criação de dois modelos distintos, um voltado para o mercado interno chinês, enquanto outro produzido na Rússia poderá atender a uma possível iniciativa de vendas internacional.

O conglomerado sino-russo pretende produzir o CR929-600 com capacidade de transportar até 280 passageiros, com alcance de 7.500 milhas naúticas (12.000 quilômetros), além de outras duas variantes (-500 e -700), sendo o primeiro uma versão mais curta e outra estendida. O trio além de competir no mercado internacional, possibilitará a operação em 95% das rotas chinesas, inclusive atendendo destinos intercontinentais como Los Angeles e Vancouver, na América do Norte.

Por Gabriel Benevides

Publicado em 26 de Janeiro de 2021 às 15:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação Comac UAC Rússia China CR929 Boeing Airbus A330neo A350 787 Dreamliner