Descobriram o problema a tempo

Pilotos de companhia aérea indiana cortam motor bom após colisão com pássaros

E não é a primeira vez que isso acontece na aviação regular. Erro persiste, apesar dos simuladores e checklists


Tudo começou com a ingestão de um pássaro durante a decolagem do Airbus A320 da GoAir da Índia no aeroporto IGI de Delhi. Ao que tudo indica, os pilotos cortaram o motor que julgavam o afetado – só erraram de endereço, cortando o motor “saudável”, o que vem se repetindo há muitos anos, desde quando nem existia o jato.

Por sorte, os pilotos descobriram o erro e puderam recuperar sua potência, pois estavam prestes a voar planado. No breve intervalo de retomada de potência do motor “inocente”, o motor afetado ainda mantinha certo empuxo, detalhe vital para evitar uma tragédia. O retorno a Delhi foi realizado normalmente.

O advento da aviação comercial a jato, a modernização e implentação do treinamento em simuladores de voo e os checklists de emergência não têm evitado totalmente os enganos quando do corte de um motor – principalmente em fases críticas, como na decolagem, com sérias consequências.

Em um dos casos mais recentes, registrado em 2015, um avião comercial de Taiwan colidiu com uma ponte ao decolar e caiu no rio vizinho, matando 43 de seus 58 passageiros, após o corte equivocado de um motor durante uma pane. 

Por Ernesto Klotzel

Publicado em 26 de Junho de 2017 às 08:18


Notícias